Vamos conversar sobre Dumplin'? Julie Murphy

LINDAGORDAFELIZ.

Skoob – Avaliação: 5/5 Red heart

Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.

*Livro de acervo pessoal da blogueira*

Desde a divulgação desse lançamento nas redes sociais da editora eu estava LOUCA para tê-lo em mãos, LOUCA para conhecer a história e conhecer melhor a incrível Willowdean que é gorda e super segura do seu corpo, e eis que finalmente realizei essa leitura e NOSSA, preciso desabafar com vocês o quanto esse livro vai além de uma história com uma menina gorda, vai além de falar de representatividade, vai além de tudo que você pode esperar ao embarcar nessas páginas.

Willowdean é gorda, e pra piorar ela é filha de uma das ganhadoras da Miss Jovem Flor do Texas (um concurso de beleza que é o ápice do ano daquela cidade interiorana). Ela ama seu corpo, há muito tempo aprendeu a amá-lo e a ignorar o bullying que sofria na escola por causa de suas curvas, aprendeu também a ignorar as ~nada sutis~ indiretas de sua mãe que vive empurrando ela para dietas, conferindo o estoque de comida da casa para saber se ela não o atacou a noite e também a colocando para assistir programas de emagrecimento na TV. Sinceramente ela já não tem paciência para essa insistência da mãe, ainda mais depois que sua tia Lucy morreu sozinha em casa, um infarto na frente da TV e que foi diretamente assossiado a sua obesidade pela sua mãe obcecada pelo corpo.

Mas esse ano sua vida começa a mudar quando Bo (seu colega de trabalho/ crush da sua vida) a beija no final do expediente. Parece que esse evento desalinhou seu mundo, pois inseguranças com relação ao seu corpo começam a surgir, sua melhor amiga briga com ela e pra piorar ela resolve se inscrever em um concurso que é feito exclusivamente de mulheres magras e perfeitas. Como tudo isso foi acontecer com Willowdean justamente quando parecia que tudo na sua vida estava prestes a melhorar, e não piorar?

Se tem uma quote que definiria a vibe desse livro pra mim é essa:

Você não merece vencer nada nem participar de qualquer concurso até ir à luta, batalhar. Talvez as gordas, as mancas ou as gengivudas e dentuças não costumem vencer concursos de beleza. Talvez não seja a norma. Mas o único jeito de mudar isso é marcando presença. Não podemos esperar as mesmas coisas que as outras garotas esperam até começarmos a exigi-las. Porque ninguém vai  nos dar nada de bandeja, Will.

Como eu disse no começo dessa resenha, eu esperava que esse livro fosse sobre uma menina gorda que se ama e tals, mas a cada página que eu lia dessa história minha percepção com o tema mudava completamente e me deixava mais impressionada do tanto que esse livro é importante, de quantos assuntos importantes ele trata de forma simples e direta, do tanto que ele fala sobre o seguinte lema: REPRESENTATIVIDADE IMPORTA.

Você já deve visto alguém falando que há poucos gordos (troque essa palavra por negros, gays e afins que também da certo) no cinema, na literatura… e talvez tenha ficado se perguntando porque algumas pessoas batem tanto na tecla de que precisamos de representatividade, seja ela de uma gorda (o ) como protagonista, uma negra, um gay, uma trans no cinema, literatura, novelas… Bom, essa quote aí em cima explica muito bem isso, e explica muito bem esse livro e o porque de ele ir além de uma garota gorda que se ama e quer participar de um concurso de Miss, representatividade importa, e sem batalhar por ela, sem se impor, sem marcar sua presença em lugares que ‘não são comuns’ para pessoas ‘como você’ você não consegue mudar o mundo, não consegue mudar a visão das pessoas, não consegue fazê-las pensar…

Por isso eu resolvi fazer de uma maneira diferente a postagem por aqui hoje. Há duas postagens sobre Dumplin’ essa que é um desabafo sobre o livro, uma conversa informal sobre alguns temas que foram incrivelmente bem abordados pela autora, e esse outro AQUI que é a resenha mais basicona do livro, pra quem não quiser ler esse post imenso que vai ter abaixo.

Prontos ou não, lá vou eu, vamos conversar o quanto Dumplin’ é um livro importante e o quanto ele deveria ser distribuido por aí como um guia, para que possamos nos amar mais, para aprendermos que é normal se sentir insegura, para aprendermos que nem sempre a gordofobia nos nossos pais vem com o intuito de nos ferir, para aprender que nem sempre vamos conseguir o que queremos, mas que lutar é preciso.

Para ler o texto na íntegra é só clicar no botão abaixo

Dumplin

ISBN-13: 9788558890311
ISBN-10: 8558890315
Ano: 2017 / Páginas: 300
Idioma: português
Editora: Valentina

Compre:

avaliação cupcake - Cópia

8 comentários:

  1. Com certeza a estória abordada neste livro vai fazer com que muitas pessoas se identifiquei da mesma forma que você, como citou a representatividade de pessoas normais, porque para mim ser gorda não algo anormal como as pessoas veem, já que mais da metade da sociedade esta acima do peso, e isso não quer dizer que a pessoa e doente, ou tenha algum problema de saúde, já que para estar saudável vai além da ausência de doença, a pessoa precisa estar em pleno bem estar, biopsicosocial. Quero muito ler este livro, e refletir sobre esta questão de estar bem consigo mesma, e ter uma autoestima.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Esse livro esta na minha lista de desejados e eu nao vejo a hora de conferir a trama. Adorei poder conferir as suas impressões e o seu vídeo também me deixou bem motivada. De fato, quero mesmo muito poder conhecer a escrita da autora, ainda mais porque a temática é importante. Achei bem legal o fato de a protagonista se amar do jeito que é, sem ligar para a opinião dos outros... só esse detalhe ja deixa a trama bem mais especial.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sabrina!!
    Gostei bastante da resenha não conhecia esse livro, mas adorei a premissa dele!! Achei bem interessante os temas do livro pois são assuntos muito sérios abordados na estória e que infelizmente vemos com muita frequência acontecer.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá Sabrina,
    Suas impressões sobre esse livro são extraordinárias. Gostei muito do vídeo, principalmente, da música no começo. Acho a premissa desse livro muito interessante e tenho muita curiosidade de ler, pois acho que ele aborda temas que precisam ser amplamente discutidos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu estou louca para ler essa obra desde quando vi as primeiras postagens na página da editora e, assim como você, também estava pensando se tratar de uma obra onde a garota amava o próprio corpo e pronto. Mas depois de ler suas palavras fiquei ainda mais louca para conhecer o enredo e descobrir sobre as inseguranças da personagem. Vejo que a leitura dessa obra vai causar um grande impacto nos leitores e que é uma experiência importante e necessária, por todos os temas que a autora aborda. Adorei a ideia da postagem.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Juro que gostaria de ser como Will, sou gordinha tbm, e admito que a insegurança sempre bate em relação a isso. Mas ameiii seu vídeo sobre o livro e realmente precisamos nos valorizar cada vez mais.

    Gostei também dos outros assuntos abordados como, gordofobia na família, preconceito no colégio e essas coisas assim. Acho que o mercado tem que se abrir cada vez mais pra esses tipos de assunto, por que hj em dia infelizmente acontece e mto nas escolas. Minha sobrinha de 6 anos já sofreu Bullying por ser gordinha. Imagina isso pra uma criança de 6 anos de idade.

    Adorei o seu vídeo, poderia ficar a noite inteira falando sobre o assunto que eu iria gostar de continuar assistindo. Vc esta de parabéns pela forma de como abordou o assunto e tbm como expôs a sua opinião.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não tive oportunidade de ler esse livro, mas desde que li um quote dele no face fiquei doida pelo livro, pois parece ser simplesmente incrível e por essa razão fiquei bem animada com a sua resenha. A premissa do livro é muito interessante e os temas abordados são maravilhosos, e agora lendo sua resenha pude ver que foi tudo muito bem trabalhado, por isso fiquei ainda mais animada.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  8. Oi tudo bem?
    Não tinha lido nada ainda sobre esse livro mas a sua resenha me deixou bem motivada para comprar essa leitura, amo protagonistas que se amam do jeito que são e não são cheias de mimimi, fora que o livro trata de assuntos muito importantes né? Vou anotar a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir