Resenha: Dumplin'- Julie Murphy

dumplin resenha (2)

Skoob – Avaliação: 5/5 Red heart

Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.

*Livro de acervo pessoal da blogueira*

Desde a divulgação desse lançamento nas redes sociais da editora eu estava LOUCA para tê-lo em mãos, LOUCA para conhecer a história e conhecer melhor a incrível Willowdean que é gorda e super segura do seu corpo, e eis que finalmente realizei essa leitura e NOSSA, preciso desabafar com vocês o quanto esse livro vai além de uma história com uma menina gorda, vai além de falar de representatividade, vai além de tudo que você pode esperar ao embarcar nessas páginas.

“Mas essa sou eu. Gorda. Não é nenhum palavrão. Não é nenhum insulto. Pelo menos, não quando eu digo. Por isso, sempre me pergunto: por que não chutar logo de uma vez para longe essa pedra do caminho?”

Willowdean é gorda, e pra piorar ela é filha de uma das ganhadoras da Miss Jovem Flor do Texas (um concurso de beleza que é o ápice do ano daquela cidade interiorana). Ela ama seu corpo, há muito tempo aprendeu a amá-lo e a ignorar o bullying que sofria na escola por causa de suas curvas, aprendeu também a ignorar as ~nada sutis~ indiretas de sua mãe que vive empurrando ela para dietas, conferindo o estoque de comida da casa para saber se ela não o atacou a noite e também a colocando para assistir programas de emagrecimento na TV. Sinceramente ela já não tem paciência para essa insistência da mãe, ainda mais depois que sua tia Lucy morreu sozinha em casa, um infarto na frente da TV e que foi diretamente associado a sua obesidade pela sua mãe obcecada pelo corpo.

Mas esse ano sua vida começa a mudar quando Bo (seu colega de trabalho/ crush da sua vida) a beija no final do expediente. Parece que esse evento desalinhou seu mundo, pois inseguranças com relação ao seu corpo começam a surgir, sua melhor amiga briga com ela e pra piorar ela resolve se inscrever em um concurso que é feito exclusivamente de mulheres magras e perfeitas. Como tudo isso foi acontecer com Willowdean justamente quando parecia que tudo na sua vida estava prestes a melhorar, e não piorar?

Então vamos lá falar desse livro maravilhoso que eu amei desde a primeira página que queria indicar pra todo mundo como se fosse um guia, porque aprendi tanto com Willow nesse livro que sinceramente ele se tornou um dos meus favoritos da vida bem antes de finalizar a leitura.

dumplin resenhas

Mas antes só queria dizer que sou separar essa resenha em duas postagens. Hoje vou falar um pouquinho por cima do livro, o que achei, colocar algumas quotes e fotos dele por dentro pra vocês verem, e amanha é o post de desabafo, um vídeo + textão pra gente conversar do quanto esse livro é bom e que precisa ser lido por todos.

“Extra, extra! Um homem não vai resolver meus problemas!”

Willowdean Dickson, ou Will, ou Dumplin’ (como sua mãe a chama, Dumplin’ é tipo um salgadinho frito) é a nossa protagonista dessa história. Ela é uma adolescente com seus 17 anos que é gorda, e que ama suas curvas. Ela é uma protagonista que desde a primeira página conquista o leitor por um simples fato: ela é real, suas inseguranças são reais, seus medos são reais, suas neuras são reais DEMAIS, e não tem como o leitor não entrar de corpo e alma nessa leitura, principalmente se você é ou já foi gorda ( o).

Sua insegurança ao se relacionar com Bo pode parecer um pouco bobo para alguns, mas a autora consegue colocar bem as claras todos os pensamentos da garota de: se os outros já praticam bullying com ela sozinha, imagina se ela aparecer namorando o cara mais gato da escola? Imagina a vergonha que ela vai fazer ele passar por andar com a menina gorda, imagina como os outros vão comentar que ele está fazendo uma boa ação ou é completamente louco de pedra. Para alguns esses questionamentos podem parecer forçados demais, mas quando você é o gordo da relação, o diferente, isso tudo passa pela nossa cabeça, toda essa neura é real, e você acaba travando sua felicidade com medo de sofrer mais.

Mas Will acaba – em um impulso louco e em memória da sua tia Lucy – fazendo uma loucura: se inscrevendo no concurso de beleza da cidade, afinal no formulário de inscrição não diz que você precisa ser magra pra participar, e se ela se acha linda porque não pode concorrer? Essa loucura momentânea dela acaba levando outras garotas ‘fora do padrão’ da escola a se inscreverem também, e a partir daí começa uma linda mensagem sobre empoderamento, união, amizade e principalmente representatividade.

Não quero entrar muito em detalhes nessa resenha sobre os temas levantados pela autora, pois quero falar mais deles no post de amanhã.

“Você não merece vencer nada nem participar de qualquer concurso até ir à luta, batalhar. Talvez as gordas, as mancas ou as gengivudas e dentuças não costumem vencer concursos de beleza. Talvez não seja a norma. Mas o único jeito de mudar isso é marcando presença. Não podemos esperar as mesmas coisas que as outras garotas esperam até começarmos a exigi-las. Porque ninguém vai nos dar nada de bandeja, Will.”

A autora aborda muito sobre como a representatividade é importante, e não é só com uma gorda, você pode colocar qualquer outra minoria que sofre preconceito no contexto desse livro que ele vai se encaixar perfeitamente, e isso é o que torna ele tão belo, ele é um exemplo para todos que já se sentiram excluídos, humilhados e julgados por ser diferente, por não estar no padrão, por não querer mudar para agradar alguém.

Apesar de ter o tema de bullying no livro ele não é o foco central. É claro que há mensagens sobre como aquelas pessoas que são diferentes sofrem, principalmente na escola onde há sempre a turminha dos idiotas que se acham o máximo, mas através daquelas amigas que decidem quebrar os padrões e entrar no concurso vamos entender o quanto é importante se amar, o quanto é importante não deixar a opinião daquelas pessoas idiotas lhe atingir e acima de tudo o quanto é importante você se impor, não se esconder, não se diminuir por causa de crítica alguma.

dumplin resenha (8)

Outro tema muito importante abordado na história é o relacionamento de Will com a mãe. Ela é uma gorda que emagreceu na infância e desde então vive em dietas e no controle total de seu peso, e tem uma paranoia imensa com o corpo da filha e com o fato de ela nunca aceitar suas sugestões para emagrecer. Isso também é algo muito real que a autora colocou nessa história, a gordofobia dentro da família é uma coisa muito comum, infelizmente, é algo que nos deixa pra baixo, acaba com nosso emocional, e que nos faz ficar na defensiva, assim como Dumplin’ fica com a mãe. Mas a autora trás uma mensagem muito necessária sobre tal relacionamento, às vezes precisamos relevar, às vezes precisamos tentar conversar, às vezes precisamos ficar menos na defensiva para tentar criar um relacionamento saudável com essa pessoa, porque ela nos ama e só quer nosso bem, e por mais que esse bem seja um pouco distorcido, a presença daquela pessoa é importante em nossas vidas.

Não tem como não amar os personagens dessa história, pois mesmo que ela se concentre em Will, todos ali possuem um papel importante e uma mensagem importante sobre amizade, aceitação, luto, família, e muitos outros… Você vai conhecer essas pessoas dessa cidadezinha nada peculiar e vai se sentir na história, vai se sentir abraçado por aquelas pessoas e vai torcer para que o concurso dê tudo certo e que essas garotas possam mostrar para aquela cidade que elas são lindas também, a sua maneira.

“Linda, foi o que ele disse. Gorda, é o que eu penso. Mas será que não posso ser as duas coisas ao mesmo tempo?”

O trabalho gráfico da editora não poderia estar mais perfeito, além da capa ter um acabamento fosco e as ilustrações originais, as páginas são amarelas e bem grossinhas, temos uma coroa no começo de cada capítulo e quando há algum termo ou trecho de música em inglês temos notas de rodapé para entendermos melhor o que estão dizendo. Fora a incrível tradução e as abas internas maiores que em livros convencionais.

Essa resenha vai ficar por aqui, não quero me estender muito nos temas porque se não o post de amanhã ficaria repetitivo e este muito grande, e estou tentando equilibrar as coisas rsrsrsrs

Dumplin é um livro muito necessário, que mesmo tendo o público jovem adulto como alvo serve para todas as idades, para todas as minorias que se sentem pouco representadas na literatura e que precisam aprender a se aceitar, a se amar mais. É um livro leve e fofo, para ser lido em poucas horas, mas que ficará no seu coração para sempre e que possivelmente entrará para seus favoritos. Você não precisa ser gordo para entender essa história, não precisa fazer parte da minoria, não precisa ser diferente, mas se for… ele terá todo outro significado pra você, e pode ter certeza que vai mudar a sua vida para sempre.

“Sei que as garotas gordas deveriam ter alergia a piscinas, mas eu adoro nadar. Não sou boba: sei que as pessoas ficam encarando, mas não podem me culpar por eu querer dar uma refrescada. E por que isso deveria fazer alguma diferença? Por que ter coxas enormes e cheias de celulite me obriga a pedir desculpas à humanidade?”

“Detesto ver gordas na tevê ou no cinema, porque parece que o único jeito de o mundo aceitar um gordo é se ele estiver infeliz com o próprio peso ou se for o melhor amigo do piadista. E eu não sou nenhuma das suas coisas.”

“Meu corpo é o grande vilão da história. É assim que ela o vê. Uma prisão que encarcera a parte melhor e mais magra de mim. Mas está redondamente enganada.”

“Fazer bem uma coisa não significa que se tenha a obrigação de fazê-la. Só porque é fácil não quer dizer que seja certo.”

“Acho que você deve ser quem quiser ser, até sentir que é a pessoa que está tentando se tornar, seja lá quem for. Às vezes, fingir que a gente é capaz de fazer uma coisa é meio caminho andado.”

“Há algo no biquíni que faz com que as mulheres achem que precisam conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda ver!”

“Acho que, às vezes, a perfeição que vemos nos outros é feita de mil pequenas imperfeições, porque tem dias em que a porcaria do zíper do vestido não sobe de jeito nenhum.”

Dumplin

ISBN-13: 9788558890311
ISBN-10: 8558890315
Ano: 2017 / Páginas: 300
Idioma: português
Editora: Valentina

avaliação cupcake - Cópia

19 comentários:

  1. Oi Sabrina, mesmo que sua resenha não fosse empolgante o suficiente, os quotes que vc separou me ganharam e preciso fazer essa leitura. Não só pela representatividade, mas por ver que ele realmente te conquistou. Fiquei animada não só pela história, mas para ver o que mais vc irá acrescentar no vídeo. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Adorei a sua resenha e até os quotes que você colocou. Pretendo ler esse livro o quanto antes possível, mesmo porque minhas expectativas estão bem em alta, ainda mais que venho lendo vários comentários positivos sobre a trama. É claro que sua resenha me deixou bem motivada, e eu fiquei apaixonada por essa capa.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Antes mesmo de ler sua resenha já tinha interesse de ler este livro, após ler fiquei ainda mais interessada. A forma como a autora consegue repassar a estória desta personagem de maneira tão real, que acaba passando para nos uma representação, pois vejo que não e só por ser gorda que passamos por esta situação, mas tudo que sai fora dos padrões. Outro ponto e como e abordado a relação da própria mãe come ela, já que não á apoia. Quero muito esta obra.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bom?
    Eu já havia visto outra resenha desse mesmo livro e já tinha ficado LOUCA para ler! Primeiramente é muito difícil MESMO encontrar protagonistas gordas em livro, e eu me sinto representada ao extremo quando isso acontece! E eu também AMO livros de superação, que falem de amor próprio, e esse parece ser um desses sem a parte do drama. Quero MUITO!!!

    ResponderExcluir
  5. Oie...
    Amei sua resenha!
    Confesso que não conhecia o livro, mas, ao ler sua resenha fiquei esbabacada aqui... Eu preciso desse livro!!!
    Adorei os temas tratados, principalmente, por incentivar a sermos o que somos, afinal, ser diferente é normal... Gosto bastante quando os autores levantam esse tema ;)
    Achei interessantíssimo os personagens e tenho certeza que irei gostar ;)
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. As citações que você selecionou são perfeitas! Dei para entender bastante o como a personagem se aceita do jeito que ela é. Acho muito importante o tema representatividade na literatura.

    ResponderExcluir
  7. Tudo neste livro me atrai e mesmo sem ter lido, me emociona. A forma como você começou a sua resenha, me prendeu de um jeito que já li duas vezes... rs
    Queria ser a melhor amiga da protagonista.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem?

    Eu achei a proposta desse livro muito perfeita! Nossa com certeza quando eu o ler sairei indicando para todos que realizem a leitura também! Tirando a capa que é muito fofinha! Você ter amado a leitura, me deixa ansiosa para eu realiza-la!

    Bjss

    ResponderExcluir
  9. Oi, Sabrina!
    Com essa comparação de John e Rainbow fiquei até com medo. rsrs...
    Estou super curiosa para conhecer a Will. Deve ser muito complicado lidar com uma mãe tão obsessiva com seu peso. Quero ler esse livro logo!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá Sabrina,
    Quero ler esse livro, inclusive, recebi meu exemplar essa semana. Acho muito essencial esse livro, como você disse, e fico muito contente por ser um livro indicado para todas as idades. A Will foi muito corajosa enfrentando todos assim e quero saber por tudo o que ela passou.
    Espero gostar tanto quanto você.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Assim como você, desde que vi a divulgação desse livro fiquei completamente encantada com essa premissa. Como a personagem tenho muitas neuras e inseguranças, e acho que o livro poderia me ensinar uma coisinha ou outra sobre aceitação.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Eu adorei muitas coisas nesse post. Adorei a capa, a sua resenha e esses quotes maravilhosos. Imagino o quão significativa deve ser essa leitura. Sua resenha mostrou isso. A personagem realmente parece ser bem próxima da realidade com todas as suas neuras e inseguranças adiquidas. Fiquei bem curiosa para saber como essa história irá terminar. Já anotei a dica aqui.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Nossaa, esse livro, cara! Esse livro! Ele está no topo da minha lista de desejados! Eu amo personagens empoderadas, que fogem completamente do "padrão" e que estão super bem com isso, super bem resolvidas e eu amo, porque me inspiro muito! Quando eu fiquei sabendo desse livro, ele ainda estava na pré-venda e estava rolando muuuitos comentários nos grupos que participo, eu fiquei curiosa de mais pra saber, quando eu li uma resenha dele, fiquei apaixonada e hoje ele é topo da minha lista, minha próxima compra! Eu amei sua resenha, só me fez sentir ainda mais vontade de ler esse livro!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  14. Olá ♥
    Lembro de ter visto uma resenha desse livro e minha vontade de fazer a leitura tinha até surgido. Vendo a sua resenha minha vontade foi lá nas alturas. Sabendo que nesse livro temos uma personagem bem real é um ponto forte, e com toda certeza eu iria me envolver de cabeça com a protagonista. Creio que as inseguranças dela não sejam bobas, pois todas nós já passamos por isso. Quando ela tenta entrar em dietas creio que seja por insegurança do seu "Crush" talvez não gostar dela do jeito que ela é ou algo do tipo. Só dei que esse livro deve nos trazer várias lições assim que finalizado, amei de paixão mesmo sua resenha parabéns!

    ResponderExcluir
  15. Oi Sabrina,
    ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas quero muito. Adorei sua resenha, super completa e estimulante, se eu já não quisesse ler o livro depois dela certamente essa vontade surgiria, adorei os pontos que você destacou a questão da gordofobia dentro da família é algo extremamente importante mesmo, eu vivi isso dentro da minha própria casa, não comigo mas com minha irmã caçula que foi massacrada por minha mãe pelo fato de estar acima do peso, infelizmente eu não consegui evitar que ela fosse afetada, resumindo minha irmã aos dezesseis anos entrou em uma dieta absurda e quase passava fome para perder peso, começou a passar mal na escola e mal estava se aguentando em pé, tive medo dela desenvolver um distúrbio alimentar sério, mas graças a Deus ela voltou a alimentar-se devido pressão da mesma que causou toda a situação (minha mãe) e hoje é magra, mas não liga de ganhar peso, come normal. Graças a essa situação ruim, que poderia ter acabado mal ela aprendeu a se amar e não se importa mais com as opiniões alheias.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Desde que vi esse livro, fiquei doida por ele. Sou gorda então gosto de ler livros com protagonistas gordas - representatividade, né. E a premissa desse é muito legal! Ótimo acerto da Editora Valentina!

    Depois de ler sua resenha fiquei com ainda mais vontade de le-lo XD me arrependi de não tê-lo comprado agora!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Já tinha visto a capa do livro, mas não tinha parado para saber mais.
    Amei essa coisa de fora do padrão, um livro de uma personagem acima do peso, sobre a convivência com a mãe, que sempre fala do peso dela.
    É uma dica, vou anotar e futuramente ler ele, sim.
    Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora Dramática

    ResponderExcluir
  18. Oi, Sabrina!!
    Menina esse livro já me conquistou desde a sinopse, e a sua resenha me ganho de vez!! Amei essa protagonista e quero muito ler esse livro fantástico!! Lindo trecho esse “Acho que você deve ser quem quiser ser, até sentir que é a pessoa que está tentando se tornar, seja lá quem for. Às vezes, fingir que a gente é capaz de fazer uma coisa é meio caminho andado.”
    Beijoss

    ResponderExcluir