Resenha: Conto O Nevoeiro - Stephen King

1_6KOGF96

Skoob – Avaliação: 5/5

Depois de uma terrível tempestade, uma estranha névoa encobre uma pequena cidade. Criaturas ocultas no nevoeiro atacam as pessoas que saem as ruas. Um grupo fica preso em um supermercado e não pode sair do estabelecimento temendo ser atacado. A partir de então, começa uma luta sangrenta pela sobrevivência.

*Livro de acervo pessoal da blogueira*

Oi pessoal, tudo certo?

Pois bem, hoje trago a resenha de um conto que fiquei completamente louca pra ler depois de ver o trailer da nova série baseada em uma história de Stephen King, O nevoeiro. Esse conto faz parte do livro Tripulação de esqueletos, uma coletânea de contos do autor.

Vocês podem conferir o trailer da série logo abaixo ^^

Por ser um conto não posso contar pra vocês muita coisa, afinal estragaria a experiência incrível dessa leitura, mas posso adiantar que esse foi o meu primeiro contato REAL com a escrita do autor (pois tentei ler Sob a Redoma e não consegui) e estou completamente fascinada e querendo ler tudo que ele tem publicado.

Era branco e brilhante, mas sem reflexos. Movia-se depressa, tendo eclipsado a maioria do sol. Onde o sol estivera, havia agora uma moeda de prata no céu, como uma lua cheia no inverno, vista através de uma fina camada de nuvens.

Aqui, vamos acompanhar a história pelos olhos de David, um homem simples que mora à beira de um lago com a esposa e filho, e que presencia uma tempestade completamente fora do normal em sua cidade, a qual deixou um rastro de destruição imenso e que trouxe com ela O Nevoeiro, uma massa cinzenta que cobriu a cidade e que chegou em uma velocidade não natural. Através das lembranças dele vamos compreender o terror daquela situação, estar preso em um mercado (com uma fechada de vidro) com criaturas sinistras ao redor e nenhuma chance de sair dali com vida. O que seria esse Nevoeiro? Como eles vão conseguir escapar? Será que as pessoas presas naquele lugar conseguiriam se manter lúcidas e sem pânico até a situação se resolver?

Como disse lá em cima esse foi meu primeiro contato com a escrita do King, e olha, eu grudei os olhos nessas páginas de uma maneira que não consegui mais parar de ler até terminar o conto, e quando precisava fazer outra coisa minha mente estava na história criando milhares de teorias e pensando o que eu faria se estivesse naquela situação.

A narrativa da história é simplesmente incrível, afinal estamos na mente de um pai que está preocupado com a esposa que ficou sozinha em casa, com o filho de 5 anos que está naquele caos com ele, em saber se aquelas pessoas vão surtar quando a coisa ficar realmente feia e principalmente preocupado com a possibilidade de não saírem vivos daquela situação. Ver as coisas pelas suas lembranças é no mínimo apavorante, pois King consegue escrever de uma maneira que você se coloca no lugar do personagem, sente cada gota de medo, pavor e pânico que ele está sentindo (porque sinceramente não há lugar para esperança nessa situação) e você se vê preso a trama de uma maneira que mesmo após terminar essa leitura ainda vai ficar pensando naquela história.

Aconteceu depressa demais. O céu azul pareceu ter sido abocanhado, transformando-se em faixa, depois em um fino risco de lápis: Então, desapareceu de todo. O branco opaco pressionou-se contra o vidro da enorme vitrine.

O mais brilhante é ver como o autor construiu a personalidade de cada morador que está preso naquele mercado, mostrando que mesmo estando em uma situação de risco e completamente desconhecida cada um tem seu modo de pensar, agir e muitos são influenciados pela massa, ou seja, se várias pessoas começam a acreditar em determinada pessoa (por mais louca que ela soe) outros vão a seguindo, e isso não é nada bom para aquele momento. Isso é um recurso muito interessante que podemos aplicar no mundo real, afinal em uma ‘comunidade’ passando por determinada provação sempre terão os que são mais práticos, os crentes, os descrentes, os suicidas, os religiosos, os que se encolhem e não fazem nada… Stephen conseguiu retratar cada personalidade com maestria mesmo em poucas páginas.

O final do conto é brilhante também, sinceramente não esperava tão situação, mas já aviso aos que assistiram o filme que é bem diferente, então vale a pena dar uma chance ao conto, ainda mais por ser tão curtinho e direto. Com uma escrita incrível O Nevoeiro instala um terror psicológico e real na mente do leitor se questionando sobre o que faria se estivesse no lugar do protagonista, se você ainda não conhece a escrita do autor essa pode ser uma ótima maneira de começar, pois além de ter uma escrita rápida você consegue ter uma noção do que a mente do mestre do terror é capaz.

— Eles cuidarão de vocês — Não hoje, talvez. Esta noite. Esta noite, quando ficar escuro. Eles virão dentro da noite e levarão mais alguém. É com a noite que virão. Vocês os ouviram chegando, rastejando e coleando. E quando eles estiverem aqui suplicarão à Mãe Carmody que lhes mostre o que fazer!

Ps: Se vocês estiverem a fim de ver a série e depois o conto recomendo muito fazer ao contrário, pois geralmente nessas adaptações a história é bem diferente, e quando você vai conferir o livro acaba não curtindo tanto por estar com o roteiro da série na mente, acredite em mim, eu fiz isso com Sob a Redoma e até hoje não consigo ler o livro hahaha.

avaliação cupcake - Cópia

Nenhum comentário:

Postar um comentário