Resenha: Uma Chance Para Recomeçar - Diana Scarpine

DSCN4942

Skoob – Avaliação: 3/5

Carina é uma workaholic rica e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe sequelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito?

*Livro recebido em parceria com a autora*

Carina é uma mulher que vive para o trabalho e nunca se importou com sua beleza, sempre usando roupas largas e mais masculinas, cabelo preso e um óculos enorme para se esconder o máximo possível, se tornar invisível. Mas sua obcessão pelo trabalho acaba a levando para uma doença, um belo dia ela acorda com metade de seu rosto paralisado e a única coisa que era bonita nele, seu sorriso, todo desfigurado. Ao procurar ajuda médica para entender o que causou isso ela acaba em uma clínica de fisioterapia, onde literalmente esbarra em Aurélio, o masoterapeuta da clínica.

Aurélio é consumido pelos fantasmas do passado, ele se culpa pelo acidente que lhe transformou nesse monstro desfigurado e cego, e que levou as pessoas mais importantes de sua vida para sempre. Mesmo dez anos se passando do acidente o sentimento ainda é o mesmo, e por isso ele nunca se abriu para nem mesmo ter uma amizade com outra pessoa, pois credita que elas sentem repugnância de sua aparência toda deformada por cicatrizes e a máscara bege que encobre seu rosto. Mas quando Carina entra em sua vida ele percebe que alguns conceitos que ele tinha podem estar errados, e que talvez já tenha chegado a hora de superar seus medos e deixar seus fantasmas no passado.

Uma chance para recomeçar foi oferecido pela autora para resenha no blog e eu logo quis arriscar essa leitura, afinal os personagens são bem diferentes dos que eu estou acostumada a ler, não tão perfeitos, e além de o livro se passar no Brasil, ele possui uma história de superação bem bacana. Porém, como nem tudo na vida são flores, a leitura deste não funcionou muito bem pra mim, e um livro que tinha tudo para ser inovador e marcante na minha vida, acabou se arrastando por semanas.

Carina eu não consegui identificar a idade dela corretamente no livro, hora ela parecia uma mulher com mais de 30 anos e hora eu pensava que estava na casa dos vinte. Ela é bem imatura, não consegue impor sua independência aos seus pais (o que gera o conflito do final do livro) e sua carência emocional por ser tão sozinha em alguns momentos beirou a chatice. Assim que acontece a paralisia facial (a qual ela ainda espera dois dias para procurar um médico, se fosse eu já tinha corrido para o pronto socorro naquela hora mesmo) ela começa levantar alguns questionamentos que não quer morrer sozinha, que já está na hora de começar a se relacionar com alguém e tals, e o primeiro homem que aparece em sua frente, Aurélio, já é seu amor. Sério, achei que ela se apegou rápido demais nele, em poucos encontros ela que nunca quis se abrir para o sentimento, que nunca quis ser notada por um homem já estava apaixonada, e nos colocou em seu drama de ‘eu amo ele mas ele não me ama’ por várias, várias, várias (tipo até o final do livro) páginas.

Aurélio é o cara que não tem autoestima, NENHUMA. Tá, eu entendi que ele ficou muito marcado emocionalmente por ter queimado 50% do seu corpo  no acidente, e perdido além da beleza que ele tinha quando era jovem, sua visão. Mas mano, é difícil se apegar ao personagem quando em quase 300 páginas (ou mais)  ele se martiriza por ser um monstro, alguém que vai causar repulsa nas pessoas, achando que todos sentem nojo de olhar pra ele. Sinceramente acho que esse amadurecimento e aceitação de sua aparência demorou demais a acontecer na história, e pro final quando ele começava com esse drama eu só queria bater minha cabeça na parede porque não aguentava mais.

A família de Carina é repugnante, a autora conseguiu realmente me fazer sentir ódio de um pai tão ignorante, preconceituoso e imaturo também, querendo obrigar uma filha já adulta a se casar para manter o emprego na rede de supermercados da família. Paula, a irmã, além de fútil é preconceituosa também, e mesmo lá pro final quando tudo se acerta entre todos daquela família eu não consegui esquecer as coisas que foram feitas pelo pai (hastag Sabrina coração de pedra).

Outro ponto que me incomodou um pouco foi a extrema ‘educação’ dos personagens. Tudo é motivo para ‘Obrigado, Disponha’ ‘Perdoe-me, Não há o que perdoar’, essas expressões acabaram ficando um pouco repetitivas demais, principalmente Carina pedindo perdão a cada dois segundos por coisas que não necessitavam tal pedido. E fazendo um adendo sobre uma coisa que achei muito desnecessária no livro foi o spoiler de irmandade da adaga negra nas páginas 136 e 137, e autora infelizmente deu spoiler de quase todos os livros da série e isso pode estragar a leitura de quem ainda não conhece or livros da irmandade, acho que essa parte poderia ser cortada do livro em uma segunda edição, afinal era só uma conversa banal entre os protagonistas e podia ter girado em outro assunto e sem spoilers.

O trabalho gráfico da editora está ótimo, adorei as flores no começo de cada capítulo e a ilustração da capa combina também com os personagens, meu exemplar tinha algumas páginas com o texto duplicado (erro de impressão) mas nada que atrapalhasse a leitura e não encontrei nenhum erro de ortografia também.

Enfim, a história do livro em síntese é boa, duas pessoas que eram invisíveis perante a sociedade se apaixonarem e gradativamente se livrarem dos fantasmas do passado se abrindo para o amor, mas acredito que a história precisava de uma enxugada, menos dramas de Aurélio, menos carência de Carina e talvez um final menos corrido, mostrando as dificuldades que eles encontraram após o relacionamento e como a vida é mais leve quando você se permite amar novamente.

Uma Chance Para Recomeçar

ISBN-13: 9788584421350
ISBN-10: 8584421351
Ano: 2016 / Páginas: 432
Idioma: português
Editora: Pandorga

Compre: Saraiva

             avaliação cupcake - Cópia

23 comentários:

  1. Olá, Sabrina!!
    Gostei muito da história dos dois, pois não importava o que acontecia com eles, estavam sempre juntos, o amor era o mais importante para eles(e é). "O amor enfrenta barreiras, enfrenta tudo o que tem para manter vivo"
    Amei a resenha!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Além de ter adorado a sua resenha, fiquei encantada com esse livro, mesmo com os pontos negativos que referiu dele! Acho que super me ia identificar com a história, dado a momento em que estou na minha vida e também acredito que pudesse ser uma lufada de ar fresco, no meio de tantos livros "pesados" que tenho lido...
    Obrigada pela dica ;) Beijos

    Pseudo Psicologia Barata

    ResponderExcluir
  3. Primeiramente quero dizer que amei o nome do blog, me identifiquei hahaha, segundamente marminina eu nunca tinha ouvido falar nessa autora e fiquei chocada que e nacional, eu amei a resenha e super vou correr para conhecer o livro e o trabalho da autora, beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá, Sabrina!!
    Já tinha visto falar deste livro, mas não tive a curiosidade de ler a resenha. Mas agora que li, pode dizer que é uma história bem romântica (gosto disso). Gostei ainda mais que eles fazem de tudo para o amor deles se manterem vivo, isso que é amor mesmo.
    Amei o livro e a resenha!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá Sabrina, tudo bem?
    É a primeira vez que vejo esse livro, e fiquei encantada por boa parte da resenha. Realmente, parecia ser uma história maravilhosa.
    Eu detesto quando não consigo me identificar com os personagens ou quando se menosprezam demais, então creio que não lerei.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Sabrina!
    Tenho o livro aqui para leitura e pretendo fazê-la assim que possível.
    Se não fosse tanto drama, talvez acompanhar um romance entre pessoas que tentam superar sua perda e sua deficiência, o livro seria mais bem aproveitado. Quanto ao spoiler, particularmente não importo porque já li a séire em questão.
    Vamos ver o que acharei após a leitura.
    Desejo um mês repleto de realizações e uma semana de luz e paz!
    “ Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.” (Maquiavel)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  7. Interessante como esse livro traz algumas questões atuais neh.. workaholic é uma questão super atual, as doenças ocupacionais como o inchaço no rosto, está devoção social a beleza fazendo uma pessoa se odiar pela imperfeição do corpo dado as queimaduras. Esse livro eh bem uma crítica social. Curti a crítica que o livro fez, mas sinceramente, não leria essa história com mais de 400 páginas! Porém a resenha está ótima! Parabéns pelo texto! Bjo! Thata

    ResponderExcluir
  8. Pessoalmente não faz o meu género de leitura mas adorei a tua review, muito completa e interessante! :)
    Continua o bom trabalho <3

    Beijinhos,
    Mii
    Comic Life Blog

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigada pela resenha, Sabrina!

    Abraço,
    Diana Scarpine.

    ResponderExcluir
  10. Olá Sabrina!
    A sinopse do enredo é bem interessante, dois excluídos que se apaixonam e vão aprender a lidar com suas dores. Mas parece ser dramático demais, ficando por vezes maçante. E sinceramente, não sou a maior fã, quando os personagens se apaixonam e se apegam logo de cara. Não sei que é uma história que eu gostaria de ler.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Esses autores da Pandorga me surpreende demais!!!
    Curti demais a resenha e claro que leria esse livro. Como disse, os personagens não são comuns e gosto disso.

    ResponderExcluir
  12. Já tinha lido de passagem um comentário sobre esse livro em um blog e pensei que a história tivesse sido bem contada. Pelo que li, não foi bem assim, hehe. Também sou autor e isso acontece quando a gente tem pressa em finalizar um livro sem se dar conta que escrever um livro leva tempo e não precisa ser um calhamaço.

    Afim, acontece, hehe...

    ResponderExcluir
  13. Oi, Sabrina!
    Já estava me interessando pela leitura só pela premissa, mas esses pontos sobre a dramaticidade de um e a carência da outra muito provavelmente conflituariam minha leitura e poderiam dar uma impressão ainda mais negativa à ela em minha opinião. Gosto muito de abordagens sobre deficiências, doenças mais desconhecidas e coisas do tipo, e é muito bom quando o autor constrói o enredo rumo, principalmente, à auto-aceitação e reconstrução dos personagens perante essas limitações, mas quando a coisa se estende tanto como no caso o Aurélio ou mesmo a família preconceituosa da protagonista, é complicado e, portanto, infelizmente é uma dica que irei deixar passar, mas quem sabe em uma futura reedição ou em outro momento, talvez? Enfim, valeu a resenha mesmo assim, está ótima!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  14. Olá, já vi algumas resenhas sobre o livro, mas no momento o enredo não me chamou muita atenção, quem sabe num futuro proximo?

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Sabrina, tudo bem?

    Não conhecia o livro, mas acabei ficando interessada, pois a história tem temas muitos recorrentes e atuais, os quais nos deparamos a quase todo instante sendo asssunto na mídia. Creio que essa não aceitação da sua deformidade por parte do Aurélio me incomodaria, assim como te incomodou. Gosto de livro mais objetivos e diretos, e é uma pena que este não seja assim. Os spoilers da Irmandade da Adaga também é outro ponto negativo, pois pretendo ler a série e saber que o livro conta demais já me deixa desapontada. Talvez leria a obra com outra edição! Mesmo assim, gostei da dica!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Apesar de alguns pontos negativos, estou bem curiosa em relação a esse livro. Ainda mais sendo um nacional!
    A história parece ser bem bacana. Os personagens e o romance parecem ser bem desenvolvidos também.
    Fora essa lição, o ensinamento que a autora nos passa. Fiquei interessada!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  17. Oi Sabrina,
    As vezes o autor arrasta certos itens da trama (como os dramas de Aurélio) e corre no final. Também não curto muito, acabo sempre me arrastando para terminar o livro. Porém achei a temática bem diferente, um casal cheio de problemas e que precisam superar seus próprios drama.s
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oi Sabrina!!!
    O livro tem uma história com um casal muito diferente de clichê e gostei muito disso, mas uma pena a autora poderia ter melhorado muita coisa pois é uma história boa.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  19. Não sei se leria o livro!
    Achei bem fraquinho a história!
    Eu pensava que iria se tratar de outra coisa, mas me enganei!
    Bomm....beijosss

    ResponderExcluir
  20. Eu já li e resenhei essa obra... Concordo em gênero, número é grau com o que você disse. A história tinha muito potencial, inicialmente as personalidades causam a nossa curiosidade, mas o excesso de vários fatores dói desgastando um pouco.

    ResponderExcluir
  21. Me parece uma obra um pouco cansativa. Talvez leria num dia mais chuvoso ou dia de folga.

    ResponderExcluir
  22. Eu estou chocada com essa nota três que você deu! Pelo amor de Deus, nossa senhora! Esse livro é um dos meus SUPER FAVORITOS DE TODA VIDA! Eu li em poucas horas, me apaixonei pelo Aurélio, e pela Carina! São personagens tão humanos, cheios de erros, falhas, medos, e marcas do passado que se fazem tão presente em suas vidas! Eu chorei, sorri, e adorei, ao contrario de voce, a formalidade e necessidade de pedir desculpas e ser educados dos personagens.
    Gostei muito do mocinho não ser tão forte como os demais, ser sensivel, e não ser de extrema beleza. Gostei muito da Carina, insegura, perdida, e mesmo que adulta sendo mandada pelos pais. É incrivel ver o modo como os dois amadurecem, como o amor que eles tem os mantem de pé e os faz crescer. Esse livro aborda perdão, medos, tristezas, e varios outros sentimentos com uma escrita que eu considerei muito bem construida e de extrema sensibilidade. Fiquei com uma ressaca literária enorme, ainda sofro dela, recomendo para todos esse livro, principalmente quem ama um romance com muito drama! Bem é isso hahah

    ResponderExcluir
  23. Bom, meu gênero favorito é romance, então, mesmo sendo clichê, dois imperfeitos que se encontram e se amam logo de cara, é disso que eu gosto rs
    Vou add lá no Skoob.
    Gostei muito da sua sinceridade na resenha kkk
    A capa é linda.

    ResponderExcluir