Resenha: A Rosa e a Adaga (A Fúria e a Aurora # 2) - Renée Ahdieh

020-6x9-Table-Top-Book-Coffee-Template-Mockup-Prev1

Skoob – Avaliação: 5/5 Red heartRed heartRed heart

A esperada continuação de A Fúria e a Aurora, inspirado no clássico As mil e uma noites Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela é quase uma prisioneira da lealdade que deve às pessoas que ama. Mas se recusa a ficar inerte e elabora um plano. Enquanto seu pai, Jahandar, continua a mexer com forças mágicas que ele ainda não entende, Sherazade tenta dominar a magia crescente dentro dela. Com a ajuda de um tapete velho e um jovem sábio e tempestuoso, ela concentrará todas as suas forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor.

*Livro de acervo pessoal da blogueira*

Imagens de uma leitora após terminar A rosa e a adaga a seguir:

giphy

NÃO ESTOU SABENDO LIDAR COM ESSE LIVRO.

SOCORRO

Um minuto paralisado no tempo. Um par de olhos cor de âmbar através do balcão.

E não havia mais medo. Nem preocupação. Nem recriminação.

Seus joelhos pararam de tremer. O coração dela firme no peito.

Naquele instante de perfeito equilíbrio, ela compreendeu. Esta paz? Estas preocupações silenciadas sem esforço?

Era porque ambos eram as duas metades de uma só coisa. Ele não pertencia a ela. E ela não pertencia a ele. Ninguém pertencia a ninguém.

Ambos eram um só.

Se após ler A Fúria e a Aurora eu já estava surtando, ao terminar A Rosa e a Adaga em menos de um dia eu sinceramente preciso de ajuda médica, talvez alguns calmantes e amigos que terminaram esse livro pra conversar, porque eu não estou sabendo lidar com tudo que foi revelado, com tudo que aconteceu, com cada reviravolta e surpresa que a autora criou, e é claro com esse fechamento maravilhoso da duologia.

Corte as amarras, Shazi. Voe.

O livro se inicia após alguns dias do acontecimento final de A Fúria e a Aurora, onde após sofrer um ataque com uma ‘tempestade de fogo’ a cidade de Rey está completamente destruída, e seus habitantes usam todas as suas forças para reconstruir seus lares. Khalid escondido sobre rida’ (um tipo de vestimenta que esconde a camisa e pode esconder o rosto) usa toda sua força de vontade para escapulir do palácio e ajudar essas pessoas que sofreram por algo que é sua culpa.

Do outro lado so deserto Sherazade se vê prisioneira em um acampamento de guerra, soldados e mercenários de todos os cantos que estão se reunindo para destronar e matar seu marido, o rei açougueiro que assassinou dezenas de mulheres em troca de nada, sem nenhuma explicação. Sua família é o que a mentêm naquele lugar, com seu pai ainda desacordado após usar um poder que desconhecia a intensidade e sem terem para onde ir ficar com Tariq é a melhor das opções, porém ela não pode ficar parada enquando seu marido ainda sofre com a maldição e com uma possível guerra batendo em suas portas sem que ele seja realmente culpado de tudo que fez.

Usando a magia que corre em suas veias Sherazade irá buscar conselhos com alguém que prometeu lhe ajudar há algum tempo, e que a presenteou com um velho e horrível tapete que é capaz de voar. Tudo que ela deseja é que a maldição seja quebrada e que os povos possam desistir dessa guerra que só trará mais morte de pessoas inocentes. Mas querer e precisar são duas coisas bem distintas, e Sherazade irá aprender em uma longa jornada que há muito mais em jogo na sua vida, que ter seus desejos realizados não será tão simples, para ter seu Khalid para sempre ao seu lado ela precisará ser mais corajosa do que nunca.

get

—Sherazade... — A voz de Reza bin-Latief perdera qualquer traço de gentileza; toda a cordialidade desaparecera do homem que ela considerava seu segundo pai. — Por que está sentada a esta mesa, dividindo o pão comigo, usando o anel do rapaz que assassinou a minha filha?

Mais uma vez Renée conseguiu guiar a história com maestria e beleza. Você fica completamente hipnotizado por todos os detalhes mágicos do deserto e do romance de Shazi e Khalid, que cada hora parace ser mais difícil de encontrar um final feliz. A autora não pouca detalhes, personagens, vilões e é claro surpresas, em um minuto você esta achando que vai acontecer tal coisa e na página seguinte acontece outra completamente diferente e que te deixa com a boca aberta, imaginando as possibilidades que esse novo rumo na historia pode trazer.

Khalid mais uma vez ganhou meu coração, e ganhou o de muitos outros na trajetória da historia também, provando que ele não é nada do que as pessoas pensam, e quem acaba o conhecendo melhor e convivendo com ele vê sua verdadeira face e seu amor inegável por Shazi, e é claro o amor que ela sente por ele que é capaz de mover céus e terra, arriscando sua própria vida para que ele possa finalmente se livrar dessa terrível maldição.

Entre todos os personagens secundários que tiveram mais destaque nessa historia devo dar desta que a dois (que não vou citar nomes para não descobrirem quem são). Um deles se redimiu completamente, enquanto no primeiro livro eu só sabia pensar que ele nem deveria estar ali, nesse segundo ele teve um papel muito importante e finalmente tomou um Semancol para ajudar na história. Já o outro me decepcionou ainda mais e despertou um tremendo ódio a cada parte sua que eu lia. Como pode uma pessoa ser tão burra e se deixar levar por coisas tão idiotas? Foi o pior tipo de traição possível e sinceramente acredito que este teve o fina merecido, aliás, deveria ter sofrido mais (porque sim, eu tenho um coração de pedra e queria mais sofrimento para este personagem).

Entre tantos relacionamentos que foram construídos e desconstruidos nesse livro um que eu preciso destacar é do de Shazi com sua irmã Irsa. No primeiro livro pouco sabemos dela, mas neste a autora conseguiu mostrar perfeitamente a união das duas e como uma sempre vai viver para proteger e estar ao lado da outra, independe dos motivos e de acreditar ou não naquilo que esta em jogo. Minha única ressalva com essa personagem foi o desfecho que a autora deu a sua historia, achei trágica demais e sinceramente ela não merecia.

Não pertenço a este lugar. Uma convidada numa prisão de sol e areia.

Mas preciso manter minha família a salvo. Preciso achar uma maneira de quebrar a maldição.

E voltar para casa, para Khalid.

Como sempre não posso falar muito mais sobre o livro para não lhes dar spoilers, mas posso afirmar de olhos fechados que A Rosa e a Adaga foi um livro surpreendente do começo ao fim, e escrito com uma delicadeza que encanta até mesmo os descrentes em um romance cheio de obstáculos. Mesclando magia, um amor verdadeiro, lealdade e sede por poder e vingança o livro arranca lágrimas, suspiros e risadas, e prende o leitor cada vez mais rápido, o deixando completamente rendido por essa história tão maginífica criada por Renée Ahdieh.

Com um desfecho perfeito eu não poderia deixar de favoritar esse livro e recomendar aos quatro cantos do mundo essa duologia. Amei a história, amei as edições da Globo Alt, amei a escrita da autora e amei a intensidade com que Sherazade e Khalid me conquistaram. Se você procura um livro para lhe deixar rendido e surpreso com tantas reviravoltas, acabou de encontrar. Espero que vocês leiam essa história e a amem na mesma itensidade que a amei. Shazi e Khalid viverão para sempre no meu coração, e com certeza serão relidos em breve, pois toda história boa merece uma visita frequente.

— Eu amo você, Tariq. — E com muito carinho colocou a mão na face dele. — Mas... é nele que eu vivo.

Seu forte e orgulhoso rei. Seu belo e arrasado monstro. O garoto que ela amava além das palavras...

Despedaçado.

Ela nunca os deixaria chegar perto de Khalid.

Pela primeira vez, Tariq viu o que Sherazade via quando olhava para Khalid Ibn al-Rashid.

Ele via um garoto. Que amava uma garota. Mais do que qualquer coisa no mundo.

E o odiou ainda mais por isso.

E, nesse instante, eles perderam a noção de tudo além de si mesmos. Porque nesse instante não havia dor. Nem cicatrizes. E a maldição era uma preocupação do passado distante.

Ali, a única coisa que importava era o que cada um tinha diante de si. Aqui e agora.

— Eu te amo — Sherazade suspirou. — Você é tudo o que sou.

— E você é tudo o que serei.

Porque, ali, eles existiam além do tempo.

Ali, não podiam mais discernir onde ela terminava e ele começava.

Todas as letras que Khalid escrevera, escrevera por uma razão. Toda desculpa que ele pedira, fizera por uma razão. Cada viagem que fizera a Rey, fora com esperança.

Porque ele queria ser melhor.

Ali estava a chance de ser melhor. Finalmente.

Uma chance de viver, de amar, na luz.

— Seja o início e o fim, Sherazade al-Khayzuran. (...) — Seja mais forte do que tudo à sua volta.

—Faça que nossos muitos sacrifícios valham a pena.

A Rosa e a Adaga

 

ISBN-13: 9788525060365
ISBN-10: 8525060364
Ano: 2017 / Páginas: 366
Idioma: português
Editora: Globo Alt

Compre: Amazon e-book | Saraiva

11 comentários:

  1. Olá Sabrina
    Adoro livros surpreendentes, nunca li nada que fosse a respeito desse "ambiente árabe". Mas com certeza fiquei muito curiosa pela Duologia <3 Essa tapete mágico me deixou nostálgica lembrando do Aladdin kkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sabrina!
    Tão bom quando uma duologia termina a contento e quando o livro final, traz grandes reviravoltas, batalhas a serem travadas, o uso da magia em busca de um possível final feliz.
    Imagino o quanto tenha surtado mesmo.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Oi Sabrina!!!
    Ainda não li o primeiro livro, mas pelo que percebo a duologia faz muito sucesso e tem um tempo que ando querendo dar uma conferida, amei simplesmente essas capas e logo estou pensando em comprar nem que seja em e book.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. Eu tô morto com o GIF que você colocou no início do post, combinou bastante com a frase 😂😂😂

    Quem nunca ouviu falar de As Mil e Uma Noites, né? Eu posso até estar fugindo de romance, mas sou doido para ler A Fúria e a Aurora, que bom que gostou (MUITO) desse segundo volume, eu espero ler logo o primeiro, quem sabe até não mata minha ressaca de romance, né? Haha!

    ResponderExcluir
  5. Oi Sabrina.
    Estou no chão, tive a impressão que tem um triângulo ai kkkkkk.
    Não faz esse suspense não, ai você me mata, eu estou muito ansiosa para começar o primeiro livro, a história parece continuar interessante e eu não poderia deixar de conferir.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Sabrina!!
    Não li o livro A Fúria e Aurora, mas pelas resenhas pude ver que é incrível a história deles. A Rosa e a Adaga também é linda, um amor incontrolável (pelo que vi, tem um triângulo amoroso aí, né?).
    Gostei muito do livro!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Adorei a obra Mil e um noites, acho que então vou gostar bastante desse livro. S serie A Fúria e a Aurora já li poucas resenhas, mas pouco que vir gostei bastante. A capa é linda demais, simples e sem exagero o que deixa ela com toque especial. Quero ter chance de esta lendo ainda esse ano

    ResponderExcluir
  8. Sempre achei a capa linda, mas essa é primeira resenha que leio do segundo livro da duologia. Queria saber mais sobre os desfechos e o tapete mágico de Shazi que parece ser uma personagem super forte (tanto que foi citada no seu post sobre o dia internacional da mulher e mulheres empoderadas). Tem romance, fantasia, aventura... ou seja, eu preciso ler esse livro, ou o gif lá no comecinho será a representação perfeita de mim e do meu desespero para conhecer mais a duologia da Shazi!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Sou simplesmente apaixonada pela Shezarade e sua história, além de tudo que envolve cultura árabe e estou encantada com a resenha. Desde o primeiro livro quero muito e já abusando poderia ser prêmio do top comentarista hehe Preciso conhecer o Khalid

    ResponderExcluir
  10. Não li a resenha toda porque sou doida pra ler esses livros e quero evitar spoiler
    massss vou dizer que se você ficou assim ao terminar a duologia (bom saber que é duologia, não trilogia) só tenho ainda mais vontade de lê-los. A premissa do primeiro livro é bem diferente do que eu já li e pelo que deu pra entender da parte da resenha que li desse segundo, muita reviravolta acontece.
    Espero que tenha encontrado alguém com quem discutir a obra haha eu fiquei mais ou menos desse jeito do gif quando terminei Sete minutos depois da meia-noite e até hoje não achei ninguém que leu :( triste

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sabrina!!
    Não tenho palavras para dizer o quanto gostei de ler a sua resenha!! Estou fascinada com essa releitura dessa história. Sem dúvida esse dois livros são incríveis!!
    Beijoss

    ResponderExcluir