Resenha: Codinome Lady V (Os Sedutores de Havisham # 1) - Lorraine Heath

DSCN4641

Skoob – Avaliação:  5/5 Red heart

Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação.
Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas.
Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes.
Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.

*Livro recebido em ação da editora Gutenberg*

Estou a cada livro mais apaixonada por esse gênero, os romances de época tem me conquistado tanto que quando vejo uma promoção meus olhos estão sendo guiados involuntariamente aos livros com vestidos pomposos e sinopses de mocinhas além de seu tempo, e tudo que eu ando querendo na minha vida é um lorde para me cortejar hahahah.

Codinome Lady V é um daqueles romances de época incríveis, que você gosta tanto da mocinha que quer ser ela (ainda mais se considerarmos o incrível boy que está aos seus pés), você admira sua coragem, determinação, língua afiada e é claro sua inteligência.

- Mas veja bem, Sheridan, eu vou junto com o meu dote. Mais do que isso, eu vou exatamente como sou. Com minhas próprias ideias, não necessariamente as do meu marido. Tenho meus próprios interesses, que, denovo podem não ser os do meu marido. Mas eu quero que ele respeite minhas opiniões e meus interesses. Eu quero ser capaz de conversar com ele sabendo que sou ouvida.

Minerva Dodger é filha de um homem que saiu das ruas e fez muito dinheiro com seu Cassino, e por isso ela não é uma simples mocinha que dá risadinhas e esconde seu rosto com um leque. Ela sabe lutar boxe, jogar cartas melhor que qualquer um do Cassino, é extremamente inteligente para negócios e está atenta as notícias dos jornais, sabendo discutir muito bem sobre qualquer assunto político, geográfico ou que envolva dinheiro. Mas é claro que os homens não querem uma mulher assim, e por isso ela já passou seis anos debutando e ainda não conseguiu um casamento válido.

Todos os homens que vão corteja-la estão atrás de seu incrível dote, e deixam bem claro que após o casamento e um herdeiro iriam coloca-lá em uma casa no campo bem longe, e que não pretendem ouvir um pio dos assuntos que ela desejar conversar, eles só querem seu dinheiro e fim de papo. E é lógico que ela não aceita isso, afinal veio de um casamento por amor, seu irmão se casou por amor, por que ela deveria aceitar menos que alguém que a ame?

Então, cansada já de esperar pelo príncipe encantado ela decide ir à um clube de sexo da cidade, o Nightingale, em busca de experimentar os prazeres do sexo com um desconhecido e manter sua identidade em segredo, Lady V. Mas o que ela não esperava é que Ashebury iria querê-la naquela noite, o Duque mais cobiçado de toda Londres, o qual ela já ouviu várias mulheres cochichando sobre suas capacidades sexuais. Será que a noite sairá como ela planejou?

- Seis temporadas, Grace, e eu nunca fui beijada.  Nunca fui levada para as sombras de um jardim. Meus parceiros de dança tem diminuído em número e frequência. Sou reconhecida pelo que sou: uma solteirona. Está na hora de eu aceitar que nunca vou viver um grande amor, e não vou suportar o fardo de um marido que não me ame com a mesma intensidade que meu pai ama minha mãe. Ou com que o meu irmão ama você. Se vou ficar com alguém pelo resto da minha vida, quero um cavalheiro apaixonado por mim. E se não posso ter isso, quero saber pelo menos uma vez como é estar com o homem sem as barreiras que os costumes da sociedade impõem. Talvez, então, eu posso seguir adiante encontrar a felicidade em outro lugar.

DSCN4642

- Case-se com um açougueiro, um padeiro, um fabricante de velas.  Ou não se case. Eu não ligo. Nem sua mãe. Tudo que nós sempre quisemos é que você seja feliz.

Como eu amei esse livro!

Minerva é tão diferente de TODOS os outros livros que já li que como disse acima eu queria ser ela hahahahaha. Ela é toda pra frente sabe, e não liga de ser assim, o que é melhor. Ela aprendeu tantas coisas com seu pai e seus irmãos que a tornou a mocinha mais fodástica de romances de época que já li, e quanto mais conhecia da sua história mais eu queria bater naqueles lordes que iam lá só para roubar seu dote.

Quando ela começa com a ideia doida de ir à um clube de sexo eu pensei: eita moça, tu sabe das coisas ehn! Porque os motivos dela vão além de perder a virgindade, ela trás em todo livro vários questionamentos a frente para sua época, das coisas que os homens podem fazer e as mulheres não, toda essa bolha em volta das regras que as mulheres devem seguir a irrita, o que tem de errado em uma mulher querer sexo tanto quanto um homem? De uma mulher saber se defender, saber das notícias do que está acontecendo ao seu redor e principalmente saber gerir sua fortuna? Porque só os homens devem lidar com esses aspectos e se espera que as mulheres fiquem dando risadinhas e só se importem com chá e tricô.

E é isso que chama atenção em Ashe quando eles se conhecem, Lady V é completamente diferente de todas as mulheres com que ela já saiu, essa língua afiada que ela possui logo o deixa louco e ele quer descobrir desesperadamente quem é essa mulher, e quanto mais as peças vão se encaixando mais ele fica apaixonado por Minerva, e mais ele se pergunta porque os lordes tratam ela com tanta falta de respeito e nunca ninguém se importou em conhecer ela melhor.

Ela era uma contradição. Uma mulher corajosa o bastante para ir até aquele clube em busca de sexo, mas discreta ou bastante para exigir segredo, tanto que nem seu amante soubesse quem ela era. Porque ela não acreditava que ele não a magoaria? Será que já tinha sido magoada por alguém? (…) Ele não era um homem dado a violência, a não ser quando a sobrevivência estava em jogo, mas ela fazia com que Ashe não fosse ele mesmo.

Ashe também é um fofo, convenhamos. Seu passado é bem trágico, e por isso ele teve uma infância difícil com um homem completamente louco como tutor, falhando com seu aprendizado em muitos pontos. Ver a dor da falta de seus pais é algo que deixa ele mais humano, e afasta um pouco a áurea de Deus Grego intocável que ele parece ter no início. Sua paixão pela fotografia é algo incrível e que foi muito bem trabalhado pela autora, principalmente quando vemos que naquela época ‘fotógrafos’ eram bem raros e ainda mais com o dom dele, que sabe muito bem capturar momentos e transforma-los em verdadeiras obras de arte.

Mas suas aventuras acabam custando um pouco caro demais, e em um determinado momento do livro vemos que ele está falido, e é claro que fica aquela pulga atrás da orelha se ele começa a querer o dote de Minerva também, se igualando a vários lordes que a queriam pelo mesmo motivo, mas a resolução disso foi muito bem trabalhada e bem amarrada, de modo que Ashe continuou em meu coração e me fez colocar na listinha de possíveis maridos literários.

Além do livro ter uma vertente muito sensual, afinal de contas Minerva é bem resolvida com isso, é muito engraçado. Por falar sempre o que pensa ela garante ótimas tiradas e comentários sarcásticos, e assim deixa o livro muito mais leve. Quando ela está com sua família também as cenas são ótimas, e dá vontade de fazer parte de ter irmãos tão legais assim, principalmente quando lemos a cena do jogo de cartas no Cassino onde todos jogam e todos trapaceiam.

Ela estava vivendo duas vidas que, se um dia se chocassem, nada poderia salvá-la. Nem o dinheiro do pai, nem a influência da família, nem a posição de seu meio-irmão na Sociedade. Seu maior medo era arrastar todos eles para sarjeta com ela.

Enfim, Codinome Lady V é um romance de época para aplaudir de pé. É engraçado, muito quente, possui um casal que é completamente diferente de tudo, e uma mocinha que vale mais que todos os lordes que já tentaram corteja-la juntos. Você vai ficar tão envolvido na história que quando perceber já está terminando, e precisará dos outros livros da série urgentemente. O trabalho da editora está incrível, e espero que os outros volumes da série sejam publicados logo, porque já não consigo me aguentar de ansiedade para ver o que os outros Diabos de Havisham vão aprontar.

Codinome Lady V

 

ISBN-13: 9788582354193
ISBN-10: 8582354193
Ano: 2017 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Gutenberg

 

 

avaliação cupcake - Cópia

11 comentários:

  1. Nossa, essa história parece ser muito legal!! Um pouco engraçada, no meu ponto de vista. Tomara que poste os outros volumes aqui no blog, vou gostar muito, e saber mais sobre essa história de Codinome Lady V... Amei a resenha e a indicatória.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Apesar de não ser totalmente fã do gênero, estou começando a me render. Desde o lançamento a capa me encantou. Já gostei da Minerva por ter coragem de esperar seu amor verdadeiro. Clube do sexo???? PRECISO desse livro kkk

    ResponderExcluir
  3. Ahhhh essa é a primeira resenha que leio do livro, eu amo romances de época e esse pelo visto vai me agradar muito, estou curiosa para saber como as coisas vão se desenrolar nesse clube ai hahahaha, espero ter a oportunidade de ler em breve, e será que vou ficar com vontade de ser a Minerva também rsrsrsr.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa em conhecer essa obra pois a pontuação dela foi bastante alta 5/5
    O que fez criar bastante expectativas sobre o livro, espero muito que aos meus olhos seja
    realmente bom, pois curto bastante essa pegada Gala que livro possui.

    ResponderExcluir
  5. Eita,essa lady é danada!
    E que bom que ela não queira cair na lábia de qualquer um,e que decida experimentar prazeres que só os homens tinham o direito.
    Mas a sorte, é que nessa decisão encontrará o homem perfeito.

    Bem,também gosto de romances de época, e esse livro já está entre os que desejo ler.

    ResponderExcluir
  6. Olá Sabrina!
    Ainda não fui completamente fisgada pelos romances de época, li apenas dois. Mas esse me deixou super empolgada! Minerva é certamente muito diferente de outras mocinhas de livros do gênero, adorei ela ser super empoderada já naquela época e convenhamos, em pleno século XXI, nem todos os homens lidam bem com uma mulher como ela! Esse é um livro que com certeza eu iria adorar ler! Ah, e as fotos que você fez e usou no post ficaram muito lindas!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sabrina!!
    Fiquei maravilhada com essa história!! Como adoro livros de época e claro que estou aqui ansiosa para fazer a leitura desse livro!! Adorei a resenha!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  8. SAbrina!
    Achei a máscara linda!
    Bom saber que é uma série, porque Minerva parece ser bem irreverente e ousada.
    Que pai bom poder ensinar coisas fora dos padrões sociais para a época, ela fica intelectualmente mais eclética.
    Que cilada ela se meteu, hein? Ashe fica a cortejá-la após uma noite de amor com Lady V e nem sabe que é ela mesma...uauuuuu!
    Nossa!
    Bacana saber que é o melhor romance de época que leu.
    Bom ver que Minerva e Ashe tem o mesmo pensamento em relação aos conceitos sociais da época e acredito que essa sintonia de pensamentos é que vai fazê-los viver um bom relacionamento mais sério.
    Adorei!
    E claro que quero ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Não gosto muito do gênero, mas este é bem diferente mesmo, que protagonista a frente de seu tempo, ela realmente ganha de todas. E que engraçada essa maneira do amor aparecer na vida dela, já fiquei torcendo pelo casal. Gostei dessa capa. Ótima resenha.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  10. Olá Sabrina,
    Adorei a resenha, Minerva vai provar que nem sempre somos vistas como somos de verdade. Uma máscara e um codinome podem mudar tudo não é mesmo? Adoro quando a mocinha está a frente do seu tempo e não pensa em mudar seu jeito de ser por causa de um casamento.
    Adorei
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Quero muito ler esse livro, tinha visto a capa dele e logo ficado bem curiosa, mas lendo a resenha não tem como não ficar interessada nessa historia, a minerva parece mesmo uma mocinha muito diferente do que já li e adorei que ela saiba lutar, jogar cartas, também fiquei curiosa sobre os assuntos que a autora acaba discutindo pelas posições e questionamentos da personagem e com certeza irei ler esse livro !!

    ResponderExcluir