Boa Noite – Pam Gonçalves

DSCN4145

Skoob – Avaliação: 5/5

Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

*Livro recebido em parceria com a Galera Record*

Depois que conhecei a escrita da Pam em Amor nos tempos de #likes fiquei com muita vontade de ler qualquer coisa que ela escrevesse, e para a minha surpresa logo após foi anunciado um livro solo dela, com um tema muito importante, é claro que eu precisava solicitar né.

Alina é uma menina do interior super inteligente que está para ingressar em Ciências da computação, um curso muito difícil e onde a maioria dos integrantes são homens. Ao ser aceita na república das loucuras – nome o qual ela não tem nada a ver, pois é a típica nerd que os populares evitam – sua vida começa a mudar, e ela percebe que todo o período da faculdade não será como ela esperava, principalmente pelos aspectos negativos.

Na sua turma são somente 4 garotas, e elas são alvo de piadas dos garotos, que acham que aquele não é um curso pra mulheres, que mulheres não são tão inteligentes, que só consegue as coisas abrindo as pernas… Ela tem que conviver com esses murmuxos todos os dias, e o pior é ver que alguns dos seus professores até incentivam esse comportamento machista e discriminatório, como se suas notas não fossem até melhores que a de alguns homens ali naquela sala.

E, como se não bastasse seu ambiente de estudo ser tão hostil, ela tem que acompanhar a página de fofocas da Universidade, onde várias mulheres são humilhadas após terem bebido demais nas festas e terem transado com ‘qualquer um’, alguns relatos de estupro chegam até a serem debochados, dizendo que a culpa foi da garota que abril as penas, que bebeu demais ou simplesmente por estar ali na festa.

Tudo isso gera uma revolta grande no grupo de amigas, que com o conhecimento do curso decide criar algo para ajudar essas mulheres a denunciar seu agressor, e conseguir provas para que estes sejam incriminados sem que seu status social importe.

Boa noite foi aquele livro que veio me abraçar, que a cada página que eu lia eu queria mais que a história criada por Pam fosse real, e que nós pudéssemos fazer o mesmo que Alina e suas amigas fizeram por várias mulheres.

A autora escreve sobre abuso e estupro de uma maneira simples porém direta, e mostra uma realidade que não é tão diferente do que acontece ai em várias faculdades, principalmente aquelas onde os alunos são filhos de pessoas muito importantes. O machismo está presente no nosso mundo, na rua, no trabalho, porque seria diferente na faculdade? Quantas garotas não vão para festas se divertir com os amigos e acabam jogadas em algum canto e estupradas sem peso nenhum na consciência da parte desses ‘garotos’? Quantas drogas não são usadas em garotas (e garotos) todos os dias e são abafadas por causa de influência ou até mesmo para não sujar o nome da universidade?

Boa noite é um livro que entretém, emociona e faz pensar. Pensar em quantas histórias iguais a criada por Pam ocorrem no nosso mundo, dia a dia mulheres abusada que não denunciam por saberem que serão culpadas. Pensar em como o machismo esta presente em nossa sociedade e que quase ninguém faz nada para mudar essa ‘doença’. Pensar em quantas mulheres seriam ajudadas se existisse um App igual ao criado no livro, livrando assim a sociedade de vários estupradores. E principalmente, pensar em como podemos mudar o nosso dia a dia para melhorar o mundo para o futuro, pois o descrito no livro é algo real, é algo que acontece todos os dias com milhares de mulheres, independente de sua idade ou roupa que estava usando.

A Pam só tenho a agradecer pela historia criada, e indicar a todos que querem ter uma pontinha de esperança que essa situação do machismo e estupro um dia possa mudar, ainda que por enquanto so esteja na literatura, sonhar e incentivar as pessoas a mudarem não custa nada, e é mais fácil do que você imagina.

~ Desculpem ter sido um pouco vaga na resenha, mas Boa Noite é daqueles livros que não se pode contar muito, só lendo e vivenciando a história em cada página para entender cada sentimento que a autora cria, e então querer indicar ele a todos que conhece –e não conhece- para ter esperança de um dia nosso mundo mudar pra melhor, e para que vítimas de estupro não sejam vistas como culpadas pelo que passaram. -

avaliação cupcake - Cópia

10 comentários:

  1. Oi Sabrina...
    Ainda não tive oportunidade de ler nada da Pam, mas "Amor nos tempos de #likes" está na minha lista de aquisições. Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre "Boa Noite", mas adorei a sua. Confesso que fiquei bastante curiosa para conhecer a história de Alina e descobrir como ela vai lidar com o ambiente machista e hostil da faculdade que escolheu, e se o grupo de amigas realmente vai ser capaz de incriminar esses garotos. Parece ser um livro que te amarra do início ao fim por se tratar de assuntos que infelizmente dão tão reais hoje em dia. Espero poder ler em breve...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  2. O começo e bem simples, mas com o decorrer da leitura vai ficando mais profundo e nos deparamos com temas polêmicos, que estão presente na vida dos jovens .

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá,definitivamente ser mulher não é fácil!
    E em todas as idades.

    Idades diferentes,problemas também.
    E pior ainda quando o ambiente é predominantemente masculino.
    Mesmo nos dias atuais o machismo é enorme...

    Pela resenha se percebe que a personagem Alina é forte e vai defender o que acha certo.
    Gostei!

    ResponderExcluir
  5. Oi Sabrina,
    Estou bem empolgada pra ler esse livro, pois a sinopse me chamou a atenção desde o lançamento. Gosto quando são abordados vários assuntos polêmicos que merecem reflexão, e mesmo que sejam tratados de uma forma mais leve, sempre dá pra tirar algo de bom. Li alguns comentários que dizem que a autora poderia ter ousado mais, ter apostado mais no drama que é o ponto principal da história, já que esse tema é que remete ao título. Mas mesmo assim acredito que seja uma história que vale a pena a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Ainda não li nada da autora, mas o livro parecesse bem interessante.
    Sua resenha está ótima, muito bem explicada. Se tiver oportunidade, vou dar uma chance ao livro, pois o tema é bem reflexivo. Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sabrina!
    Sou fã da Pam e acompanho o canal dela há um bom tempo, e inclusive acompanhei a criação do livro.
    Ainda não pude ler mas adorei a personagem que ela criou, a Alina realmente soube fazer a diferença quando necessário, e realmente seria ótimo que o APP fosse criado na vida real. Quero muito ler e finalmente conheer a escrita da Pam.

    ResponderExcluir
  8. Esse assunto é bastante contemporâneo, o que vemos de relatos nos jornais sobre os abusos cometidos em festas universitárias realmente deve ser discutido. Ainda deve ser pior em curso que figura mais homens, o preconceito diário e a intimidação deve ser terrível. Tema bem pesado e acho que nunca vi colocado em um livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Já conhecia a Pam pelo seu livro Amor nos tempos de #likes, mas esse é novo livro dele me surpreendeu, achei bem interessante os temas tão importante ela aborda, esse livro parece ser aquele tipo inspirador que alem de te mostrar o problema também cria uma solução ou pelo menos um modo de se lutar. Gostei muito desse livro e ele com certeza está na minha lista de leitura !!

    ResponderExcluir
  10. #tcoutubro

    Gostei da resenha, não conhecia esse livro e fiquei curiosa haha! o tema é sempre propicio né !!

    ResponderExcluir