Proibida Para Mim (Série New York # 1) -Elizabeth Bezerra

13950711_10205941348887033_232541891_o

Skoob – Avaliação: 2/5

Quando Neil Durant socorre Jennifer Connor durante um assalto em uma noite fria ele não sabe que sua vida mudará para sempre. Descobrir que a jovem é cega é uma surpresa para ele. Neil está preso em um casamento de conveniência e sabe que Jennifer é totalmente proibida para ele. O correto é afastá-la de seu mundo sujo, mas o destino insiste em aproximá-los cada vez mais. Passado e futuro se entrelaçam de forma surpreende e os dois se veem mergulhados em uma paixão incandescente.

- Livro recebido em parceria com a Editora Bezz -

Antes de começar a falar qualquer coisa sobre esse livro gostaria de dizer que foi a MINHA impressão sobre a obra, ou seja, você pode ler e amar a série (como muitas pessoas amam), então, por favor, sem tretas, okay?

Neil é um empresário super bem sucedido, mas uma noite ao estar no subúrbio ele salva uma jovem de um assalto, essa mulher é Jennifer e é cega. Neil então a ajuda chegar em casa e logo se encanta pela jovem de cabelos ruivos, e ele quer fazer de tudo para ajuda-la a viver melhor e protegida.

Aos poucos ambos vão se envolvendo mais e acabam engatando um relacionamento, apesar de Neil ser casado (um casamento de fachada com uma mulher com quem ele nunca dormiu) e estar brigando na justiça para se separar da louca da Sophia e ficar com a guarda de sua filha Anne.

Em meio a segredos do passado de ambos, e uma culpa muito grande que assola Neil, o casal se apaixona a cada dia mais, mas será que quando essas verdades vierem à tona tudo ficará bem entre os dois?

Vamos as considerações sobre a obra. Lembrando, sem tretas, okay?

O livro pra mim foi dividido em duas partes: 40% sem noção onde eu detestei a cada página e por fim já tava rindo de tão ridícula a situação era (e de alguém achar isso romântico) e os outros 60% onde a autora tentou fazer um mistério sobre o passado de ambos, mas que eu matei nas primeiras páginas (achando o drama deles completamente desnecessário – mas essa parte foi legível)

Vou explicar os primeiros 40% do livro, ele tem muito a ver com as ações dos personagens.

Neil é um homem rico, bonito, bem sucedido, um ótimo pai… MAAAAS… É machista, opressor, controlador, manipulador, um tremendo idiota, que olha, eu quis socar o livro todo e gritar com a mocinha pra chamar a polícia e sair correndo para as colinas. Vou explicar…

Nos primeiros 40% do livro nosso protagonista age como um homem das cavernas. Ele conhece Jenny em menos de 48h e já está controlando a vida dela, colocando um segurança na sua casa para vigiá-la “zelar pela sua segurança – já que ela não pode porque é cega”  INVADINDO a casa dela e da amiga e chamando Paige (a amiga) de irresponsável por deixar a Jenni sozinha (uma adulta, que paga suas contas, que é cega – afinal pra ele porque ela é cega precisa de cuidados 24h) e se auto-intitulando responsável por ela a partir de agora, em suas palavras: ele é que está no controle agora. OI? – Pera que fica pior!

Em outra cena lá pra frente seu segurança avisa que ela está em uma casa de stripp, e o que ele faz? Sai correndo e vai tira-la A FORÇA de lá, porque aquele não é lugar para uma mulher como ela frequentar (porque é cega novamente) ainda mais com uma roupa tão curta, então para PROTEGÊ-LA ele a arrasta para sua casa, sem deixa-la opinar sobre isso.

E o que a Jennifer faz? Aceita todas as suas escolhas, não questiona seriamente, não briga, não liga, simplesmente age como se isso tudo fosse normal e se apaixona pelo bonitão que está interessado por ela.

Oi? OI? OOOOOI?

Eles ficam juntos, tem umas 10 páginas de sexo ali porque é claro né eles se amam e tem uma disposição infinita, e uns dramas pro meio da história e fim. É assim que é baseado o relacionamento deles, com Neil decidindo tudo por ela, impondo suas decisões, tendo crises de ciúmes ridículas e menosprezando ela o tempo todo (mesmo que não diretamente) como se o fato dela ser cega a impedisse de viver como qualquer outra pessoa, como se ela não pudesse frequentar os locais que deseja – mesmo que a trabalho – ou que não pudesse ficar sozinha em sua casa sem ser vigiada pelos seus seguranças.

Nos outros 60% temos ali o mesmo comportamento (ainda que mais brando) porém a autora colocou um mistério ligando todos os personagens: Neil, Natan (irmão gêmeo dele), Sophia, Jennifer e outros secundários. O mistério é interessante? Um pouco. Mas confesso que tudo ficou óbvio demais, e os dramas que os personagens faziam quando iam revelar algo ficou forçado demais pra mim, como se fossem culpados pela morte do papa, quando na verdade eram só por poluir a camada de ozônio (drama excessivo).

A parte boa do livro (que ocupou menos de 10% da história) é a relação dele com sua filha – que na verdade é filha do seu irmão com a Sophia – ela tem uma deficiência e sua mãe a despreza, mas ele a ama como se fosse seu verdadeiro pai, e luta com unhas e dentes para conseguir ficar com ela, mesmo sob todas as ameaças da louca da ex-esposa.. Essa parte poderia ter ocupado mais o livro, ter sido um pouco mais trabalhada e demorada, pois foi o que me manteve presa no livro.

Desculpa pessoal, mas não tem como não ser imparcial nessa resenha! Como vou indicar um livro onde o cara acha que pode controlar a vida da guria só porque ela é cega e porque ele está “apaixonado” por ela? Como vou indicar uma história com um romance tão distorcido, e que olha, não tem nada de romântico aqui (mesmo que ele tenha seus momentos de flores e declarações, não esconde o fato que ele é um louco controlador, e na vida real, essas pessoas são as que vc tem que chamar a polícia e viver o mais longe possíveis, pois eu sei por experiência própria que isso acaba com sua vida pra sempre, e que pessoas assim NUNCA mudam), como dizer que isso é romance? Como influenciar pessoas a acharem que isso é normal e que o instinto protetor do cara é normal? Desculpa, mas no mundo que eu vivo, conhecendo quem eu conheço, isso não é normal não.

Fora a história do livro que já falei tudo ai em cima o que penso, tem a parte gráfica, que apesar de a capa ser bem bonita, o livro tem vários erros de revisão e de diagramação (como o capítulo que começa no meio da história sem mudar a fonte, as fontes de mensagem de texto/carta são as mesmas da história e tão ali como se fossem outra frase qualquer), mas isso pode ser que seja só na minha edição – vai saber.

Enfim, Proibida pra mim é um livro que não deu certo pra mim, que foi contra todos os meus conceitos de romance e relacionamentos, e que desconstruiu a personagem feminina ao extremo, ao invés de mostrar que por ela ser cega ela pode ser tão independente que qualquer outra pessoa, viver como qualquer outra mulher, e travar as suas lutas sem precisar de um homem para viver bem. Mas, como tem muitos leitores que gostaram, fica ai a resenha, só lendo mesmo pra saber se o livro vai ser bom ou não pra você.

avaliação cupcake - Cópia

19 comentários:

  1. Olá
    Eu não conhecia esse livro, e compreendo muito bem a sua crítica ser negativa e acho ótimo a sua sinceridade, afinal de contas, é o que esperamos mesmo. Bom, ao ler a sinopse, devo dizer que leria esse livro sim, mas sem grandes expectativas.. Então, quem sabe né?! Fiquei intrigada com esse casamento ai de fachada, que loucura!!! Ah, mas homem machista e controlador ninguém merece né, ainda mais por ela ser cega, nada a ver mesmo..
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Sabrina, eu não conhecia o seu canal e já me inscrevi. Que pena que o livro não funcionou para você e acho que os pontos que você argumentou sua crítica, me fariam não gostar também. Achei interessante essa peculiaridade da protagonista, acho que ainda não li um livro com a mocinha sendo cega.
    Valeu pela sinceridade!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Sabrina que resenha tão maravilhosa <3 Eu sei, eu sei. Ela é negativa. Mas quem é que disse que resenha só é boa quando tem elogios? Nada disso! Resenha é boa quando ela aborda esses temas tão importantes, quando ela é sincera, quando ela prende o leitor.
    Eu já não leria esse livro por ele ser hot, mas depois da sua resenha é que eu não leria mesmo.
    Não aguento mais as pessoas romantizando essas relações abusivas. Relações que na vida real são extremamente perigosas. E para defender isso, tem gente que diz "mas é ficção". Não, não é. Existem relações assim na vida real e acho que a literatura está aí para nos mostrar a realidade e ajudar a mudar o mundo.
    Pena que a autora não mostrou uma mulher cega e independente. Ela poderia ter feito isso e certamente o livro seria muito melhor e com belas mensagens. Mas pelo visto ele está cheio de close errado :(
    Concordo com você, não dá pra indicar um livro assim.
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/
    PS: Você se expressa muito bem em vídeos.

    ResponderExcluir
  4. Olá Sá,
    Conhecia esse livro, pois tenho ele no Kindle, mas fiquei muuito desanimada com a história, pois as atitudes do protagonista me irritaram demais. Também não gostei de a autora ter trabalhado a deficiência de Jennifer assim, sério? Fiquei muito desanimada em relação a isso e também não curti passar isso como normal e não devo ler esse livro, pois prega coisas que não aceito.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Achei sua resenha super descontraída e me peguei rindo em alguns momentos com sua exposição de opinião kkk
    Fiquei interessada pela obra por se tratar de uma protagonista cega, imaginando que talvez traria à tona um pouco de superação, uma personagem forte e independente.
    Lendo sua resenha, vi que não é bem assim e desanimei completamente com o livro. Simplesmente descartei a dica afinal vemos por ai outras obras que talvez nos agrade mais e prefiro me dedicar a elas rsrs

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Sabrina!
    Pela sinopse, não me interessaria nada pelo livro. E depois da sua resenha, com certeza vou passar longe dele!
    Acabei de sair de uma leitura que tinha vários personagens machistas e espero não pegar outro livro desse tipo tão cedo.
    Só pelo o que você escreveu, já fiquei irritada com o personagem principal.
    Parabéns pela resenha sincera!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Não conhecia a obra, mas confesso que o fato do personagem ser realmente machista também me incomodaria, bem como a rapidez dos acontecimentos que é sem dúvidas algo que me incomodaria. Além do fato dele ser casado (ok casamento de fachada) mas querer mandar em outra pessoa, pelo amor de deus. Confesso que vou realmente passar a dica e achei muito sincero da sua parte apontar todos esses erros do livro.

    Grande Abraço
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  8. Caramba, eu não conhecia o livro, mas fiquei indignada com o comportamento machista, arrogante e ridículo do personagem. Concordo totalmente com sua opinião em que ela ser deficiente visual não altera em nada, e na sua indignação com a passividade da personagem. Odeio personagens passivas e sem atitude, por isso nem terminei de ler o famoso 50 tons. Valeu pela dica, vou passar longe...
    Abraços, Helô

    ResponderExcluir
  9. Pelo amor de Deus eu imaginei a mesma coisa fazendo a leitura.
    ME ABRAÇA.
    o que acontece com esses autores? Criam historias até boas porém acabam com tudo quando tentam fazer a gente engolir personagens machistas, opressores.
    Eu estou quase desistindo dos NA e Eróticos por esse motivo ta puxado.
    Adorei sua resenha
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  10. Oie! nossa, adorei a sua opinião. não eu não li esse livro, calma, deixa eu começar do começo, eu já o conhecia. Eu sou cega... e tenho várias outras amigas que são cegas. e assim que esse livro saiu todo mundo foi conferir porque gostamos de ver como cegos são retratados nos livros e etc, e aí começaram a me relatar do ridículo da situação, do modo como a moça era tratada então claro que me recusei a ler. e todas as impressões eram muito semelhantes a sua... ao invés de a autora criar uma protagonista que mostra sua independência, ela criou um mito em torno do cego que só serve para construir os preconceitos que as pessoas tem na vida real. Uma pena que o livro não é nada bacana, a não ser os dez porcento ee, mas eu não leria, não tenho paciência.

    ResponderExcluir
  11. Oi oi querida,
    Essa resenha foi uma das mais sinceras que já li.
    Também não gostei do personagem principal. Mas quem sabe durante a série tenha personagens melhores.

    Eu tenho esse livro na minha estante virtual, e acho que vou trocar no Skoob, pelos seus relatos esse deve ser um daqueles livros que você se arrepende de ler, ainda por cima fica indignada.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  12. olh, nenly e nenlerey... só pelo que vc falou na resenha é o suficiente pra que eu passe longe desse livro... concordo completamente contigo... em tempos como esses em que vivemos e sofremos com esse tipo de 'romantismo' é de doer ver autores fomentando esse tipo de história, como se fosse trazer uma mensagem boa pro leitor... romantizar esse tipo de comportamento só piora as coisaas... amei sua sinceridade ao descrever os pontos que te desagradaram na leitura...
    bjs...

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Adorei sua resenha! É muito triste quando os autores decidem continuar destruindo as personagens femininas. O livro tem tudo para dar certo e ser um sucessão e eles decidem fazer isso...Já vou evitar esse livro para não me arrepender depois!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Adorei sua sinceridade sobre a obra, provavelmente a leitura não daria certo para mim também, mas eu as vezes gosto de me torturar e quem sabe num horário livre não jogue fora um tempinho com esse livro haha. Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?

    Menina, sua sinceridade a respeito da obra me fez rir bastante (rsrs)

    Adorei o jeito que você se expressou.

    Ja sei que não me adaptaria à história principalmente pelos pontos negativos que você citou.

    Uma pena você não ter gostado e ter "gasto" tempo com ele!

    Mais uma vez parabéns pela sinceridade! Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Vi alguns comentários no Facebook sobre um livro em questão e pelo o que lembro me parece muito com esse e acredito que seja kkkkk Bom, lendo sua resenha eu já descartei a ideia de ler o livro, sério, muito sem noção esse romance mesmo, quer dizer, essa obsessão, esse sentimento de posse do personagem, né? Porque não dá pra romantizar algo assim e ela não fazer nada nessa situações só piora tudo, né? Enfim, gostei muito da sua resenha, pois a mesma está muito sincera e é isso que é o mais importante.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  17. Que sinceridade! É sempre bom ver opiniões sinceras assim nas resenhas, pelo menos se um dia chegarmos a ler, sabemos onde estamos pisando. Gostei muito de conhecer a obra, principalmente pela sua opinião. Não acho que eu leria, mas principalmente pelo gênero erótico não estar me agradando atualmente. De qualquer forma, continue assim nas suas próximas resenhas. Vou confessar: dei boas risadas lendo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Nossssssa, consegui sentir a raiva do livro de perto. Odeio personagens assim. esta coisa de conheceu a pessoa e já está praticamente adotando ela é ridículo. Não existe isto hoje em dia desta forma, ou melhor, até existe mas não é bem assim o tempo todo. Quem é que quer um homem desta forma? e se ela é cega sabe mais do que nunca se virar sozinha. Gente, me indignei! hahahaha

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  19. Nossa, que decepção!
    Total desfavor um livro passar a mensagem de que a pessoa por ser deficiente não é tão capaz quanto as sem deficiência! Fora a romantização de relacionamento abusivo, né?
    Vou passar é longe desse livro!

    Com Amor, Isa

    ResponderExcluir