Quem, eu? - Fernando Aguzzoli

DSCN3856

Skoob – Avaliação: 5/5 Red heartCrying face

COMPARTILHAR A DOR NÃO É SOFRÊ-LA NO COLETIVO, É LIVRAR QUEM DELA SOFRE. Durante um ano, um neto largou tudo que tinha – o emprego, a carreira, os estudos – para se dedicar integralmente à avó, diagnosticada com Alzheimer. Convivendo com a divertida, bonachona e, claro, sempre esquecida vovó Nilva, o neto Fernando, um jovem aspirante a filósofo com um talento epistêmico para a comunicação, aprenderá uma lição de vida que doença nenhuma pode apagar. Uma história real que emocionou o Brasil e vai fazer o leitor rir e chorar, mas nunca mais se esquecer dela. Porque o amor não é uma lembrança; é uma regra da alma.

* Livro de acervo pessoal da blogueira*

Quando a Belas Letras lançou esse livro em 2014, fiquei eufórica para lê-lo, porém até então não havia tido oportunidade, mas eis que consegui comprar o meu exemplar de uma pessoa aqui na minha cidade, e acreditem ou não, passei o domingo chorando, e só de lembrar de todas as emoções que senti lendo Quem, Eu? lágrimas voltam aos meus olhos, porque é impossível não se emocionar com toda a história do Fernando e da dona Nilva.

Amar minha vó como amo não foi uma decisão, mas um aprendizado.

O livro é dividido em duas partes. Nas primeiras 112 páginas conhecemos a jornada dessa nona Italiana, toda a sua história de vida difícil, mas que nunca a deixou desistir de criar a filha, e muito menor o neto Fernando, criando uma relação de melhores amigos com o neto querido, uma amizade tão verdadeira e com tanto amor, que não tem como não se emocionar.

Vemos como foi a descoberta do Alzheimer, como a família reagiu, e principalmente como a dona Nilva passou por essa faze. Eu pelo menos nunca havia lido nenhum livro sobre essa doença, e ler uma história real, e que aconteceu em uma família tão –comum- quando a minha, deu um aperto imenso no coração, porquê a gente sempre vê acontecer na família dos outros, sempre vê falar sobre a doença em uma família rica que tem milhões para cuidar do paciente, mas em uma família que era muito parecida com a minha, a dor, a emoção, o impacto de ler sobre essa doença foi mais forte.

Fernando que sempre foi o neto querido, que sempre viveu com os cuidados da avó não pensou duas vezes quando foi a sua vez de largar tudo para viver com ela, pois é algo tão simples o que ele escreve: ela largou tudo para cuidar de mim, porque eu não posso fazer o mesmo por ela? E com suas palavras vemos o quanto seu apoio incondicional foi importante para a avó, que passou seis anos rindo com o neto, rindo de coisas bobas, mas que pra ela eram as mais coloridas possíveis, pois seu neto nunca a fazia menor pro causa da doença, e sim entrava em seu jogo, tudo para lhe fazer feliz.

Passamos a promover a qualidade de vida, e transformar um problemaem uma oportunidade de gerar sorrisos e momentos descontraídos. Cada lembrança bagunçada era um terreno fértil para nossos devaneios. Não havia limites, e unicórnios eram bem vindos em nosso mundo paralelo.

Com esse livro vemos como o mundo seria um pouquinho melhor se pelo menos 50% das famílias fizessem isso por seus pais, seus avós antes de jogá-los em asilos, hospitais quando aparece uma doença, doença que ‘atrapalharia’ sua vida, que tiraria momentos da vida da pessoa que ela não poderia mais ter, mas o que as pessoas esquecem é que aquele que você abandonou uma vez abriu mão de tudo por você, e a questão é muito mais você passar o tempo que resta da pessoa com ela, do que ‘perder’ alguns anos de sua vida cuidando dela.

 DSCN3859    DSCN3863DSCN3857

Como eu disse, o livro é emocionante, do começo ao fim da doença vemos dona Nilva perdendo suas memórias, porém ganhando momentos lindos, engraçados ou até mesmo calmarias com a filha e o neto. Não tem como não cair no choro em cada nova página, em cada novo obstáculo, em cada nova frase linda em que Fernando consegue passar todo o sentimento de medo que sente pela avó, principalmente em saber que ela está partindo, e olha, quando ela se vai, eu já estava soluçando de tanto chorar, porque é uma dor que eu pude assossiar muito a minha vida, a relação com a minha avó que cuidou o tempo todo de mim, e que agora mora longe, e com o meu vô, que mesmo nós tendo nossos problemas, cuidou de mim como filha, e me deixou ano passado.

Nesse teu eterno domingo onde resolveste viver, sempre há espaço para seres fantasiosos e amigos imaginários. É como se fosse uma princesa em um castelo todo seu. Lá dentro, unicórnios galopam ao lado de cavalos árabes, anões dançam em volta do teu trono e macacos conversam enquanto tu tentas dormir. Delírio? Talvez apenas uma senhorinha vivendo a infância que não pôde ter.

Já na segunda parte do livro vemos os diálogos mais ‘engraçados’ de dona Nilva, momentos em que ela acordava no meio da noite e insistia em procurar um cachorro que ela trouxe para a casa (imaginário é claro) que logo depois virava um gato. É de dar boas gargalhadas, e aprender que a doença é algo muito sério, mas que os familiares não devem brigar com a pessoa, ou insistir que não há cão ou gato nenhum que ela está maluca, pois essas coisas machucam de mais alguém que já está muito sensível.

No final do livro temos uma pesquisa em forma de Notas, que auxilia as pessoas nas situações que a família de Fernando passou, como por exemplo como se adaptar a rotina do idoso, como lidar quando ele insiste que já tomou banho e na verdade não tomou. São pequenas explicações que acredito que fazem muita diferença a quem descobriu recentemente a doença em um familiar, e ainda está bem perdido com tudo.

DSCN3861

A diagramação do livro é incrível. No meio das histórias temos alguns QR Codes, para o leitor acompanhar os vídeos que Fernando fez com sua avó, momentos simples mas que dão aquela dorzinha no coração, principalmente quando lembramos que ela já não está conosco. Há várias fotos em preto e branco no decorrer da primeira parte, e no meio do livro há fotos coloridas em uma ordem cronológica, contando a história da dona Nilva desde sua juventide até a última foto tirada com o neto.

DSCN3864

Enfim, o livro é lindo, emocionante e com certeza vai levar TODOS os leitores à lágrimas, principalmente aqueles que tem uma relação maior com seus avós, ou os que já não os têm consigo. Espero do fundo do coração que esse livro possa tocar cada um, e que o faça refletir um pouco mais sobre estar com essas pessoas no final de sua vida, tornando essa fase mais alegre e serena do que somente sofrimento ou abandono.

DSCN3877

Ps: Dona Nilva, achei seu gato : )

Ps: O livro foi relançado, agora está pelo selo da Paralela.

avaliação cupcake - Cópia

20 comentários:

  1. Esse livro é muito amorzinho. Eu não sabia que ele tinha sido relançado pela Paralela, eu li pela ed. Belas letras. Fiquei apaixonada pela história e é muito fácil se envolver com eles. É lindo mesmo e impossivel não se emocionar, eu chorei em vários momentos hehe
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Sabrina,
    Lembro, como se fosse hoje, desse lançamento. Como havia ficado curiosa para fazer a leitura e como me esqueci dele. Ler sua resenha trouxe toda aquela vontade e não pode ser mais oportuna.
    Minha avó foi diagnosticada com essa doença hoje. Meu pai chegou do médico a tarde nos contando do ocorrido. Infelizmente, não percebemos antes e a doença dela está bem avançada e não há mais como tentarmos tratar. Vivi por 24 anos com minha avó até ir embora por conta do destino. Consigo entender todos os momentos que fizeram o Fernando fazer o que fez pela avó, se eu tivesse condições, faria o mesmo pela minha.
    Adorei sua resenha e fiquei emocionada apenas de lê-la, devo ficar extremamente emotiva quando ler o livro.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  3. A leitura deve ser tocante!!! Infelizmente, esta doença atingiu uma pessoa muito próxima a mim e eu conheço o dia a dia deste neto tão dedicado. Adorei a indicação e com certeza, irei ler e sei que me emocionarei muito.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oie, que coisa linda, quero esse livro para ontem. Sempre acho as histórias envolvendo o auzheimer tocantes e essa parece ser muito. E que triste que dona nilva faleceu, mas ao menos ela recebeu todo o carinho até o fim, e que linda a atitude do fernando. quero conhecer.

    ResponderExcluir
  5. Olá, puxa vida que livro bacana! Eu não conhecia mas achei bem interessante o assunto que ele aborda e principalmente a forna que o neto se dedicou a cuidar da avó com paciência e amor como um dia ela fez por ele.
    Deve con toda a certeza ser um livro emocionante e que eu pretendo ler em breve.
    BJ

    ResponderExcluir
  6. Olá!! :)

    Eu nao conhecia mas adorei ler a tua resenha e estou mesmo interessado agora!! :) ahah Eu onfesso que nao sou la grande fa do genero mas olha..!! :) ahah

    Adorei saber que e capaz de mexer com as emoçoes e que quem e proximo de avos que vai gostar mais! :) E eu serei dessas pessoas!! :) hehe

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  7. Oi,

    Gostei muito deste livro e como ele foi abordado, é de se perceber que também foi escrito com bastante amor, a história de vida e de união de cada, abordada pelo autor com um carinho imenso pela vó e muito mais.

    ResponderExcluir
  8. Oi Sabrina
    Adorei conhecer esse livro!
    Minha avó é uma das pessoas mais importantes da minha vida e não me imagino sem ele um segundo sequer. Adorei ver que o livro retrata esse relacionamento, mas também temas importante. Também gostaria que todos pudessem ler e começar a respeitar mais os idosos.
    Acho que mexeria com minhas emoções também!
    Adorei a dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  9. Oi Sabrina, tudo bem?
    Lendo suas impressões sobre o livro tenho a sensação de que ele irá me emocionar também como fez com você, apesar de eu não ter avós presentes em minha vida. Não sei como é ter uma relação de avó e neta, mas a avó de minha prima tem essa doença e várias vezes já fui visitá-la, então sei como é difícil lidar com esses constantes esquecimentos. Claro que há coisas que são engraçadas, mas é preciso mesmo ter muita paciência e carinho com essas pessoas, ainda mais levando em conta que elas contribuíram significativamente para o seu crescimento. Acredito que esse seja um livro muito emocionante e espero ler um dia.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  10. Oi Sabrina! Li no ano passado e fiquei apaixonada pela história da Dona Nilva, e mais ainda pela linda atitude do seu neto. Morri de rir em algumas situações e em outras não consegui segurar as lágrimas. O livro foi uma lição de humanidade e superação, pois não é fácil cuidar de uma pessoa doente 24 horas por dia. Uma lição de amor que levarei comigo.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Que história mais linda! Ainda não sabia sobre essa obra, mas com certeza é de emocionar a todos. É uma outra visão que muitos esquecem de ter, a maioria olha para o problema e vive em função disso, na minha opinião, Fernando trouxe uma solução para os dias sombrios que viriam de forma inevitável. Nunca tive ninguém próximo com a doença, mas dar para perceber que não é fácil, e por isso a atitude de Fernando é tão bonita. Amei conhecer.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  12. Helloo, tudo numa nice?!
    Confesso que ao ver a capa do livro já entortei o nariz. Eu amo ficção então essa obra não estaria na minha pilha de forma alguma, não sou de ler biografias e essas coisas. Mas admito que gostei bastante do que foi apresentado. Achei importante o autor explicar algumas coisas como lidar com o Alzheimer e com o idoso que tem. O avó da minha mãe tinha e morreu, mas só depois de um longo período de tempo. Ela não sabia mais quem era. Acho linda demais essa ligação com os avós, pessoas tão importantes na nossa vida. E em relação a esse livro eu mudei de ideia sim, eu o leria assim que o tivesse em mãos.
    E acho que derramaria muitas lágrimas também.
    Beijin...
    Pieces of Alana Gabriela

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente eu tive pouquíssimo contato com meus avós. Eles eram de outros estado e os vi apenas 5 vezes na vida. Tenho algumas lembranças, claro, mas bem poucas pois ainda era criança a última vez que os vi. Mas vejo o carinho com que minha mãe cuida do meu sobrinho, e sinto um cadinho de inveja por não ter tido isso. Adorei o livro, e já fiquei emocionada só com a passagem da imagem sobre esquecimento. Excelente dica.

    ;D
    Nelmalana Oliveira

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    E hoje 26/07 é dia dos Avós! Não tenho mais os meus e passei o dia lembrando deles. =)
    Que história emocionante e linda. Pessoas como o Fernando deveriam existir aos montes. Acredito que o livro além de compartilhar uma linda história seja também uma base para nos prepararmos para possíveis situações como esta. Sabemos que um dia todos nós vamos envelhecer e morrer, e esperamos não terminar nossa jornada com doenças. Acho muito lindo pessoas que têm essa iniciativa e se doam 100% para cuidar de quem cuidou da gente. Com certeza D. Nilva foi feliz no fim de sua vida.

    Ps: Essa frase ficou marcada no início de sua resenha: "Porque o amor não é uma lembrança, é uma regra da alma".

    Obrigada pela super dica. Bjinho! ;-)

    Janaína Oliveira | Blog Notinhas de Rodapé

    ResponderExcluir
  15. Eu sou uma manteiga derretida. Isso é um fato. Mas eu amo ser uma manteiga derretida. Amo histórias como essa, que emocionam e nos trazem algum aprendizado. Esse livro parece ser daqueles que nos muda, que nos marca para sempre.
    Acho que já escolhi o próximo livro para ler quando quiser me desidratar de tanto chorar.
    Temos um vencedor!
    Com certeza a história dessa avó e seu neto, sua relação de amor e carinho, vai me marcar por muitos anos.
    Obrigada pela dica.
    Bjs, Mila.

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá Sabrina!
    Não conhecia esse livro e nem tinha lido comentários a respeito, mas gostei muito da premissa. Sou bem próxima das minhas avós e talvez por esse motivo eu ainda não me sinta preparada a leitura. Gosto muito de livros que tocam o meu coração e sejam extremamente sensíveis e o relato de Alzheimer precisa passar isso para o leitor, levando em conta o quanto é difícil conviver com alguém que tenha a doença. Ainda não li nenhum relato real dessa forma e gostaria de ter a oportunidade desse livro ser a minha primeira leitura.
    Beijos.

    Um Rascunho a Mais

    ResponderExcluir
  17. Hey!
    Eu nunca tinha me deparado com esse livro antes, e confesso que não é o gênero que me chama a atenção, mas pelo simples fato de eu ser emotiva demais. Parece ser uma história realmente triste, mas que infelizmente é da vida real e acontece com milhares de pessoas. A avó de Fernando parecia ser uma fofa, o que me fez pensar que eu gostaria de ter tido um aproximamento melhor com as minhas. De qualquer forma, adorei a resenha, embora tenha visto alguns errinhos que acredito que devem ser de digitação.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Quando a edição da Belas Letras chegou na livraria, eu me lembro que fiquei toda empolgada, querendo conhecer essa história - mesmo não sendo nem de longe algo que costumo ler.
    Dei umas olhadas e li um pouquinho por cima, o que me fez ficar com a sensação de que é um livro incrível. Infelizmente, não consegui ler ele por inteiro.
    Sua resenha me fez ficar pensando que minhas primeiras impressões do livro estavam corretas, que é uma bela história, que irá me emocionar enquanto estiver lendo e que muito provavelmente continuará comigo por um tempo depois.
    Tá na lista, com certeza!!!!
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  19. Oi Sabrina, tudo bem?
    Uau eu não conhecia esse livro ainda e devo admitir que me deixou mega curiosa, eu amo esses livros emocionantes e percebi que ele traz uma mensagem de vida muito linda. Adorei conhecer a obra e saber um pouco mais dela, fiquei muito curiosa para conhecer essa história linda sobre família e sobre essa doença horrível. Meus parabéns pela resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  20. Hey, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro e achei bem interessante, nunca me deparei com algo do tipo. Parece ser um livro bem emocionante e dinâmico também, já que tem fotos e diálogos... Vou anotar a dica e espero que eu goste também.

    Beijos

    ResponderExcluir