Cartas de amor de Paris–Samantha Vérant

DSCN3314

Skoob – Avaliação: 3/5

Vinte anos depois do primeiro encontro, Samantha finalmente descobre o amor de sua vida...
Aos 19 anos, Samantha Vérant conheceu o encantador Jean-Luc em uma curta viagem à França. Eles aproveitaram o clima romântico de Paris e, quando ela voltou para casa, ele escreveu sete lindas cartas de amor – que ela nunca respondeu.
Vinte anos mais tarde, à beira de um divórcio e se perguntando em que ponto sua vida começou a dar errado, Samantha encontra as cartas de Jean-Luc. Ela então o procura na internet para enfim responder às cartas com um longo pedido de desculpas atrasado. Então rapidamente descobre que a conexão entre ambos continua tão forte quanto no dia em que ela o deixou sozinho em uma plataforma de trem em Paris.
Samantha sabe que ir à França para reencontrar o homem com o qual dividiu apenas um dia ensolarado e cheio de paixão é loucura! Mas é por este tipo de loucura que ela tem esperado a vida inteira...

Naquele momento, o que eu teria feito para ter apenas um mínimo de paixão na minha vida. Mas ali estava eu, no sofá, me perguntando o que tinha acontecido, tentando entender em que momento tudo o que eu tinha sonhado um dia simplesmente tinha dado errado.

Como a sinopse é bem um resumão do livro, vou me atentar somente as minhas impressões do livro.

A história do livro é baseado no que a autora passou para reencontrar seu amor, toda a história é realmente verdadeira, mas no começo do livro ela avisa que encurtou muitos detalhes pois se não ficaria chato o livro e imensamente grande, e acho que aí foi seu erro. Pois até o momento que ela está para encontrar o francês, você está achando tudo verídico, legal, romantico, mas apartir do momento que ela se encontra com o cara no aeroporto, Jesus, parece que o romance dela pegou um trem bala e sai correndo na velocidade da luz.

Não sei se foi realmente assim que aconteceu na vida dela, e se foi quem sou eu para julgar? Mas poxa, tu acabou de sair de um relacionamento sem amor, onde nunca conversaram ou discutiam as coisas que queria, onde você não tinha voz, e parte para outro que quando você reencontra ele uma das primeiras frases que ele te fala é que vão se casar e ter filhos em Julho, Oi? Em todo o contexto do primeiro momento da vida dela isso ficou forçado, se essa parte foi encurtada e resumida para o livro confesso que queria mais detalhes, queria mais envolvimento antes de terem conversas do tipo.

Um dos pontos positivos do livro com certeza é como a autora expos a dificildade de um relacionamento em línguas diferentes. Por mais que a protagonista soubesse falar um pouco de Francês, em alguns momentos ela falava coisas ou expressões que Jean-Luce não entendia o que ela queria dizer, ou pronunciava errado e saia completamente diferente do que queria falar, como por exemplo quando ela quiz dizer julho e acabou falando Orgasmo.

Por favor, não pense que é fácil para mim expressar meus sentimentos em uma carta, contudo, quando nosso coração bate por alguém, acredito que é melhor não esconder.

Outra coisa que me encomodou MUITO foi em relação as falas em Francês. A editora não traduziu nem metade do que foi dito, e eu fiquei sem entender a maioria das falas depois que ela começa a conhecer as pessoas que são amigas ou famíliares de Jean-Luce. Queridos, a maioria dos brasileiros não fala francês, então a tradução é extremamente necessária, assim como algumas que fizeram e colocaram no rodapé.

Mesmo com tantos pontos negativos a história do livro é bonita. Você reencontrar o homem que você se apaixonou em um dia em Paris depois de 20 anos, quando a sua vida está uma bagunça e ele já tem filhos e uma vida construída é bem diferente de todos os romances que são publicados hoje em dia. Não há ilusão de que será uma vida fácil, de que ela vai largar tudo para ir correndo para os braços de Jean-Luce, ou ele vai sair correndo e abandonar filhos e emprego para viver esse amor, mas sim a realidade, a autora conseguiu colocar bem como é complicado você abrir mão de algumas coisas para se mudar de país, viver com alguém que conheceu tão brevemente, e ainda por cima que já tem uma vida construída.

Outro ponto bacana do livro é a realidade difícil de alguém que se vê desempregada aos 40 anos, em meio a um divórcio e cheia de dívidas para pagar. Ter que voltar a morar com a mãe, ver o olhar de seus pais com pena de você por estar passando por esses perrengues na vida não deve ser fácil, mas Samantha conseguiu mostrar que o apoio deles foi essencial para que ela se reerguesse e conseguisse construir uma nova vida ao lado do seu verdadeiro amor.

Cartas de amor de Paris é um livro bonito, ainda mais sabendo que é uma história real, da própria autora. Acredito que os pontos que me fizeram tirar algumas estrelas do livro foram as partes que ela resumiu, que encurtou tudo para caber em um livro menor, se a história tivesse seguido um fluxo mais calmo, o romance com o francês não tivesse entrado em um foguete e disparado logo no primeiro encontro acho que o livro teria sido muito mais proveitoso, e eu teria gostado mais, porém é aquele negócio, só lendo para vocês saberem se a história será melhor pra vocês do que foi pra mim Winking smile 

Ás vezes coisas engraçadas mudam nossa história com a força de um furação. A gente não sabe como ou por quê, mas ela muda.

avaliação cupcake - Cópia

top maio

5 comentários:

  1. Oi,
    Bom, eu gostei do fato do livro passar uma história real. Acho que não aconteceu tudo tão rápido, talvez essas partes foram as cortadas. Não sei pq ela não colocou toda história, tem gente que não se importa com livros grandes (eu), assim não ficaria tão rápido e um pouco confuso. Essas falas em francês que não foram traduzidas vão me incomodar um pouco, e vou acabar lendo com o celular na mão tentando traduzir, e isso não seria legal. Não vai entrar na minha lista, mas se eu ganhar ou entrar numa promoção super bacana eu vou ler.

    ResponderExcluir
  2. Pooxa, eles não traduzem ? Que loucura é essa? Essa foi uma das partes da sua resenha que mais chamaram minha atenção. Expliquem a eles que eu não sei frances kkkk enfim, o livro tem uma premissa bonita, traz mesmo coisas que a gente faz, na verdade loucuras, em nome do amor e da nossa felicidade. Gostei dessa personagem, achei autêntica.
    Pena que não foi isso tudo pra você e imagino que essa sensação seja pra muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  3. Olá Sabrina,
    Não conhecia esse livro, foi a primeira resenha que li. Fiquei bem curiosa e intrigada pra ler por ser uma história real, da própria autora. Mas os pontos que você destacou desanimam um pouco, especialmente pela autora ter corrido muito no romance, ela realmente pecou por ter encurtado muitos detalhes da história. Outra coisa que me deixou incomodada foi em relação à tradução das falas em francês; já que tem muitas falas, sem dúvida elas deveriam ser traduzidas, isso realmente prejudica e muito a leitura. Apesar disso, se um dia tiver a oportunidade de ler vou dar uma chance.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Achei essa capa muito linda e o título também já chama a minha atenção só por ter Paris kkkk
    Até hoje, foram poucos os livros que li que abordam cartas e e-mail no livro, entre eles estão Um dia, @mor e Esposa 22, sendo que entre eles, o único que gostei foi Esposa 22. Acho que não me dou muito bem com esse tipo de história, o que para muitos flui bem, para mim é um pouco arrastado. Eu até gosto de amores avassaladores e profundos que acontecem rápido porém tem que me convencer, esse pelo visto não te convenceu e não sei se também me convenceria :/

    ResponderExcluir
  5. Oi. Obrigada por sua resenha, perfeita. A capa está muito bonita, e a sinopse é bem interessante. Mas não sou muito chegada nesse estilo de leitura. Mas tenho certeza que para quem gosta, trará momentos de ternura e amor, uma leitura prazerosa. E mais interessante por ser baseado em uma história real. ótima dica. Abraços.

    ResponderExcluir