Vamos juntas?–Babi Souza

DSCN2689

Skoob – Avaliação: 5/5 Red heart

Toda mulher já se sentiu insegura na hora de sair sozinha na rua. O risco de ser abordada, perseguida ou assediada é uma realidade. Mas, um dia, uma moça chamada Babi Souza teve uma ideia simples e revolucionária: da próxima vez em que você estiver sozinha, olhe para os lados. Pode ter outra mulher andando na mesma direção. Por que não vão juntas?
Logo, o movimento Vamos Juntas? conquistou moças em todo o Brasil, se tornando um símbolo de união feminina e feminismo, na defesa por direitos iguais entre homens e mulheres. Aos poucos, muitas mulheres mudaram sua forma de enxergar o dia a dia e a moça ao lado.
Além de dados sobre o feminismo, que mostram como ainda há tanto a ser conquistado, este guia traz relatos de mulheres que aprenderam, junto ao Vamos Juntas?, a enxergar companheiras umas nas outras. A se unir, ao invés de rivalizar.

Existem diversos movimentos sociais que discutem os perigos da violência de gênero a que somos expostas, mas nenhum tinha como sequência estimular as mulheres a olharem para as companheiras nas ruas a fim de mostrar que não estamos sozinhas.

clip_image001

Março é o mês das mulheres, e para homenagear essa data a nossa editora parceira Galera Record me enviou dois títulos feministas como presente. E assim Vamos Juntas? chegou em minhas mãos na tarde de sexta-feira, em um momento muito oportuno

Que atire a primeira pedra a mulher que nunca sentiu medo por ter que ir sozinha pra casa a noite, medo de ser roubada, de ser assediada, ou até mesmo medo de ser estuprada nas ruas escuras e não ter ninguém ao seu lado para lhe socorrer. Ou até mesmo durante o dia, em um metrô, ônibus, na pracinha da sua casa… Tem horas que o único pensamento nosso é “que inferno é ser mulher”, pois afinal de contas não vemos por ai muitos casos de homens do os mesmos abusos ou constrangimentos por causa de mulheres que os assediam.

Em Vamos Juntas? Babi nos conta como surgiu seu projeto. Ao sair tarde do trabalho em uma sexta-feira ela se viu traçando e estudando qual seria o melhor caminho para voltar pra casa em segurança, e viu várias mulheres com o mesmo sentimento estampado no rosto dentro do ônibus que entrou, ao descer para pegar o segundo ônibus, todas estampavam o pavor e o medo, e saíram literalmente correndo quando ele parou, pois nenhuma queria ser vitima em uma praça escura. Eis que ao chegar ao segundo ponto, ela viu que várias que estavam com ela no ônibus também foram para aquele destino, então porque não oferecer a colega que está tão apavorada quanto você uma companhia para chegar ao seu destino? Além de terem mais chances de chegarem seguras, vocês ainda bate um papo, relaxa e acaba fazendo uma nova amizade, ou mesmo passando o tempo tranquila.

Nesse momento percebemos que uma das grandes missões do movimento seria mostrar para as mulheres que se cuidarmos umas das outras podemos mesmo nos safar de muitas situações dolorosas e que aquelas histórias seriam ferramentas de inspiração.

Assim o projeto nasceu, em menos de 3 meses já haviam atingido mais de 230 mil curtidas no Facebook, vários relatos de meninas que conheceram o projeto e acabaram ajudando outras mulheres a chegar em casa em segurança, livrando elas de situações onde os homens estavam a assediando ou até mesmo relatos de violência doméstica que se impuseram na presença do pai/tio, relatos de estupro que sofreram por ainda não conhecerem o projeto e não ter ninguém para ajuda-las a se livrar dessa.

clip_image002

Os relatos são emocionantes, como a autora cita, nós mulheres temos o dom de amparar, de querer que nossa irmã, amiga ou mesmo uma conhecida não passe por situações complicadas, doloridas ou de abuso, quando uma de nós sofre, nós sofremos também, e fico imaginando como deve ser administrar uma página que recebe mais de 80 mensagens por dia com relatos de abusos que sofreram antes de conhecer o projeto, de situações que conseguiram se livrar depois de conhecer o vamos juntas, de apoios que tiveram de outras mulheres desconhecidas.

De todos os relatos que li, queria citar o mais emocionante em minha opinião…

Todos os dias atravesso a praça inteira até chegar ao meu destino. Naquele dia senti que estava sendo seguida então apertei o passo. Logo uma moradora de rua veio ao meu encontro dizendo: “ Oi! Hoje você também trouxe um pedaço de pão?” Percebi que ela não olhava pra mim, mas para o homem que estava logo atrás. Ela segurou forte no meu pulso e continuou a falar: “Ah, não tem problema, não, me paga um café na padaria”. Seguimos em direção à padaria e o homem desapareceu. Para a minha surpresa, ela contou que assistiu à entrevista da criadora do Vamos Juntas? no Encontro com Fátima Bernardes da calçada de uma loja, e disse que sempre que pudesse ajudaria quem estivesse em apuros. Foi através dela, a Rosa, que conheci o movimento. 

Rita, Sapé, PB

Vê como simples ações podem ajudar a salvar a vida de tantas mulheres? Imaginem se todos os dias, ao ver alguém em situação de apuro ou ver olhares estranhos para outra mulher, que seja desconhecida ou não, outra mulher ajudasse… Imagina quantos casos a menos de estupros, abusos e assédios que teríamos no Brasil, no mundo…

Nosso medo é diferente do medo dos homens: não tememos apenas que levem nossos bens materiais, tememos que levem a nós mesmas.

clip_image003

Acontece que muitas questões precisam ser mudadas, desde gestos pequenos como dizer que meninas só podem brincar de casinha e de bonecas, e meninos podem correr e brincar como querem, dizer que chorar é coisa de menininha, meninas precisam ser comportadas… todas essas ações vão tornando o ‘ser mulher’ enraizando que nós precisamos ser submissas aos homens, e que nunca teremos a liberdade que eles possuem. Os desenhos como Cinderela, A bela e a Fera, A bela adormecida nos mostram que sempre precisamos encontrar o príncipe para sermos felizes, e que não temos amigas mulheres para nos ajudar em situações chatas (pelo contrário, as mulheres são sempre as megeras), todos esses pequenos fatos vão criando essa mentalidade de medo nas mulheres, e de liberdade completa para os homens, onde eles podem fazer o que quiserem que nunca serão punidos por isso.

clip_image004

E ai vem essa palavrinha estranha, que com certeza você não conhecia (eu pelo menos nunca tinha ouvido falar) SORORIDADADE.

So. ro. ri. da. de.

substantivo feminino

1. Grupo de irmãs.

2. Reunião entre mulheres que se reconhecem irmãs formando um grupo político e ético na luta pelo feminismo contemporâneo. 

Eu mesmo nunca ouvi falar dessa palavra, achei que seria um novo termo inventado pela autora, mas para a minha surpresa é um termo que retrata algo simples, um grupo de mulheres próximas, uma ligação de irmãs, que hoje em dia é tão difícil encontrar por aí. Somos ensinadas que não podemos ter muitas amizades verdadeiras, a competir, a dar nomes horríveis para outra mulher se ela é mais bonita que você ou tem mais conquistas pessoais, e pra que? Toda essa rivalidade não serve pra nada.  Quer um exemplo claro e rápido disso?

Quando um homem trai sua namorada (esposa) com quem ela vai tirar satisfação? Com o homem traíra ou com a mulher com que ele saiu? Não minta, eu sei que é com a mulher, eu mesma já passei por essa situação e quem levou a pior foi à mulher, e não o homem. Isso é algo enraizado na maioria das cabeças femininas, e algo que precisa mudar rápido, se quisermos que o mundo mude também.

Sentir medo por conta do machismo institucionalizado é, em outras palavras, sentir medo por saber que os homens a nossa volta ainda não entenderam que nosso corpo é nosso.

clip_image005

E Babi também vem falar sobre o empoderamento, outra palavra pouca usada, certo? Empoderar-se é acreditar que somos capazes de fazer tudo que quisermos, ser o melhor para o próximo mas também colocar nossas necessidades a frente, não é ser egoísta, é ter a certeza que merecemos esse mundo também. Aceitar que podemos ter a mesma liberdade dos homens, e que temos a mesma capacidade para fazer tudo que eles fazem com a mesma competência, incluindo no trabalho fora de casa.

E quando alguém fala que hoje em dia não existe isso mais, de que homens levam vantagem ainda por cima das mulheres, pense um pouquinho… Segundo dados, apenas 15% dos cargos importantes são ocupados por mulheres no mundo; os homens ganham cerca de U$ 8.300 a mais que as mulheres; Quando uma mulher ocupa um cargo alto em uma empresa que possui mais homens, ela geralmente é hostilizada, humilhada e chegam até a perguntar com quem ela precisou dormir para alcançar aquele cargo, como se nós mulheres não fossemos capazes de alcançar por mérito próprio.

clip_image006

Enfim, em poucas páginas Babi fala de tudo e mais um pouco, de conceitos simples que precisam ser reavaliados por homens e também por nós mulheres para termos a esperança de que algum dia, mulheres não sofram tanto por causa de seu sexo, que possam viver com a mesma liberdade que é dada aos homens, e que não passemos por tanto sofrimento apenas por nascer mulher.

Recomendo muito o livro para todos, e mulheres, quando virem alguma colega ou desconhecida passando por algum aperto, convide ela para se juntar a você, com duas simples palavras, você pode mudar o mundo de uma pessoa.

DSCN2701

 

avaliação cupcake - Cópia

MINI POST

21 comentários:

  1. Que super esse livro, gostei muito da ideia, realmente quem nunca sentiu medo de andar sozinha? Eu por exemplo sinto toda vez que estou voltando da faculdade a noite, é um perigo, já fiz dessa de ir de um lugar ao outro acompanhada com alguma mulher que estava indo na mesma direção que eu, é algo importante, irie tentar ler o livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da proposta desse livro e estou pensando em ler. É bem interessante e de leitura rápida e fácil, com boas mensagens.
    Achei os detalhes gráficos uma beleza que só, a edição está linda *-*
    Também uma ótima dica pra dar de presente pra uma amiga ou qualquer outra mulher importante na nossa vida, é desses livros.

    ResponderExcluir
  3. Nossa.. O que dizer deste livro? E de sua resenha e comentários? Estou impressionada com o tema que o livro abordou, e ele soube fazer isto de uma forma que possamos terminar a leitura sendo uma nova pessoa, compreendendo melhor e querendo mudar este mundo cheio de preceitos preconceituosos e machistas.
    Enfim, gostei muito da proposta do livro e já adicionei em minha lista de desejados. Quero conhecer mais sobre este trabalho de Vamos Juntas.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Amei a capa, as ilustraões, o marcador, a fonte... Amei o livro todo, vamos logo dizendo. Além disso amei a idéia, mas acho que muitas mulheres não fariam isso, por não conhecer a pessoa e talvez achar que a outra ache ruim, estranho ou esquisito. Mas amei também por mostrar nós mulheres no ponto de vista dos homens, feminismo, dados estatísticos sobre os abusos no país, coisas no qual trata sobre o nosso sexo, sobre no qual devemos nos informar cada vez mais.
    E sobre esses termo ''sororidade e empoderamento feminino'' eu realmente não sabia o que era haha, por isso mesmo que isso é um ótimo livro no qual nós mulheres devemos ler, para nos mantermos informadas, por tratar sobre nós, quando se trata sobre isso, informação nunca é demais.

    ResponderExcluir
  5. Esse livro me encantou por abordar um tema real: varias mulheres tem medo de sair de casa, e tem suas razões, são tantos sequestros e assaltos diariamente que fico até assustada, bom saber de um livro sobre isso

    ResponderExcluir
  6. OMG... Que livro livro lindo!!!! Amei o tema e acho que toda mulher deveria ter o seu!!! A combinação de cores ficou linda demais!!! Adorei sua resenha... Já quero esse livro!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Que livro maravilhoso! Não só fizeram um trabalho incrível com essa capa e toda a ilustração... Como também o tema abordado. Achei essa ideia fantástica. E é impressionante a proporção que tomou.
    Vamos juntas é ótimo exemplo e que deve ser seguido e passado adiante.
    Não vejo a hora de ter esse livro lindo em mãos e poder saber um pouco mais sobre esse projeto e os relatos.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oii! Que legaal! Adorei a sinopse! A idéia eh ótima! Mulheres vamos ler esse livro! Um ótimo manual para todas as mulheres , ainda mais se for como eu que tem medo de andar por aí sozinha....bjs!

    ResponderExcluir
  9. Não é o tipo de livro que costumo ler, mas parece ser muito interessante e muito bem feito, não tinha ouvido deste movimento ainda, mas é uma boa ideia.

    ResponderExcluir
  10. Oi Sabrina, que livro lindo gostei bastante da resenha ele parere ser um livro incrivel e gostei bastante do tema dele, com certeza vou ler obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito da iniciativa da Babi Souza e acredito que esse livro vá alcançar muitas mulheres que, assim como eu, ainda não conheciam o movimento Vamos Juntas.

    Bjos
    http://helendutra.com/

    ResponderExcluir
  12. Às vezes me pergunto em que mundo eu vivo, não conhecia o livro e nem o projeto, talvez por morar em cidade interiorana, em que antes atos como o estupro eram raridades e que infelizmente do ano passado para cá tem se tornado corriqueiro. E os casos de assédio são considerados, infelizmente, comuns! Adorei o projeto e o livro, irei divulgá-los, principalmente, às minhas alunas!

    http://blogpaginasembranco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Achei a proposta do livro bem bacana, me interessei para ler.
    O livro parecer ser bom e a diagramação é ótima!

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Nossa, ainda não conhecia esse projeto mas esse projeto e muito serie e importante !!
    Quero muito ler o livro e conhecer mais sobre esse projeto que ajuda tantas pessoas e o mais importante que qualquer que queira pode começar a fazer parte dessa iniciativa !!

    ResponderExcluir
  15. Quero muito ler este livro, achei a proposta do livro bem.interessante, tenho acompanhado o projeto pelas redes sociais, realmente vale apenas ler.
    josenildalins53@hotmail.com

    ResponderExcluir
  16. Quero muito ler este livro, achei a proposta do livro bem.interessante, tenho acompanhado o projeto pelas redes sociais, realmente vale apenas ler.
    josenildalins53@hotmail.com

    ResponderExcluir
  17. Eu já tinha lido uma resenha sobre o livro e achei incrível a temática do mesmo.
    Infelizmente, ser mulher em uma sociedade que ainda possui traços machistas é muito difícil. Com isso, nada melhor do que um exemplar de "Vamos juntas?" para disseminar conhecimento sobre o feminismo e ao mesmo tempo, empoderar mulheres que muitas vezes, estão cansadas de enfrentar problemas no dia-a-dia, simplesmente porque são do sexo feminino.

    ResponderExcluir
  18. Muito legal!
    Gostei da proposta do livro, as ilustrações e diagramações estão ótimas!
    Está muito legal sua resenha(como sempre), querendo um exemplar desse livro.
    Acha que vale a pena.

    ResponderExcluir
  19. Eu quero MUITO esse livro!!! Acho a ideia do projeto maravilhosa, e retratar isso através de um livro é incrível. Seria maravilhoso se todas as pessoas pudessem ler, não só ele, mas outros livros que falam sobre a qestão do feminismo. Eu ainda não li, mas já recomendo!! Beijo :)

    ResponderExcluir
  20. Esse não é meu tipo favorito de livro e não sei se o leria, mas achei uma graça as ilustrações e a ideia dele, que super apoio! Não sou adepta de abordar desconhecidas só para ter companhia, mas me sinto mil vezes aliviada quando vejo que é uma mulher que esta andando atrás de mim as vezes nas ruas e quando simplesmente tem uma por perto.

    ResponderExcluir
  21. Nossa, que edição caprichada. Sério, essa diagramação e todo esse design está muito bonita.
    Por mais que o tema não chame muito a atenção, ver uma edição linda assim faz você desejar o livro kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir