Sejamos todos feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

DSCN2553

Skoob - Avaliação: 5/5

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens.Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Para quem quiser ver o discurso feito pela autora, que foi adaptado para livro pela Companhia das Letras, é só assistir abaixo. Ele já está legendado em Português.          

                                                                                              

O feminismo é um dos assuntos mais comentados nos últimos anos, tanto que foi tema da última prova do ENEM, em 2015. Mas você sabe o que é feminismo? Você sabia que não precisa ser mulher para apoiar o feminismo? Você entende os problemas que a diferenças de gêneros causam até hoje, em pleno século XXI? Onde mulheres ainda continuam ganhando menos que os homens, mesmo que tenham os mesmos cargos, ou sendo menos respeitadas pois não são casadas ou se vestem de maneira mais feminina para trabalhar?

Chimamanda em 46 páginas levanta várias experiências que teve com questão de preconceitos que viveu até hoje por ser uma mulher, e principalmente por se: mulher, feminista e Africana. São relatos que mostram o quanto as situações são absurdas, e não pense que são só relatos acontecidos na África, onde as mulheres ainda sofrem um preconceito imenso, são exploradas e não tem voz quase nenhuma por seus direitos; a autora também conta experiências de amigas que vivem nos Estados Unidos e em outros países, com profissões importantes ou mesmo simples donas de casa que tem que abrir mão de seus sonhos e vontades para satisfazer as do marido, ou de um homem que seja 'superior' a ela.

A autora levanta uma das principais questões a cerca do conceito que a população tem até hoje sobre gêneros: a criação. Os meninos quase sempre são criados para serem durões, não fazerem nada, são elogiados quando 'pegam várias meninas', já as meninas são desde pequenas ensinadas que devem arrumar um belo marido, cuidar da casa e aprenderem a cozinhar, se manterem puras para o futuro marido... Percebem a diferença entre os gêneros nos pequenos detalhes que são ensinados desde o berço as crianças?

É claro que muita coisa mudou até os tempos de hoje, mas muita coisa ainda precisa ser resolvida. Como a autora cita, quem sabe nos próximos 100 anos, com uma melhor criação e melhores valores sendo distribuídos e praticados, tenhamos uma geração de homens e mulheres mais felizes, onde a igualdade entre os gêneros será real, e o feminismo não será uma palavra associada a algo ruim.

Recomendo muito a leitura desse livro, ou até mesmo do discurso da autora pelo Youtube, você terá uma experiência única, e quem sabe não abra os olhos para situações que pratica 'involuntariamente' que podem agravar ainda mais essa desigualdade entre os gêneros.

Ps: O livro hoje (26/02) está grátis na Amazon!

avaliação cupcake - Cópia

mini post tc

12 comentários:

  1. Chimamanda é uma mulher que eu preciso ler. Além dela discursar sobre um assunto tão importante, vejo diversos elogios a ela na internet. Esse será um que vou me obrigar a ler esse ano, e com prazer. Tenho certeza que vou me apaixonar pela obra e admirar muito a autora.
    Olha Sabrina, eu não entendo muito do tema, mas é claro, por ser mulher tenho muita noção sobre e sofro, como todas nós.
    É um tema que precisa ser lido e abordado por todos.
    Concordo contigo, as meninas e os meninos precisam ser educados de uma maneira diferente, mas a sociedade ainda não faz e não está pronta para isso. Até mesmo as mulheres são machistas.

    parado-na-estante.blogspot.com.br
    facebook.com/paradonaestante

    ResponderExcluir
  2. Conheci o trabalho da Chimamanda pela internet e esse foi o primeiro livro que li dela, justamente pela amazon (quero muito o físico). Depois disso pra me tornar uma fã foi só um passo. Amo esse discurso, já ví várias vezes e eu sempre me toco com ele, e ela merece ser aplaudida de pé mais de uma vez. Ainda tem outros livros dela que pretendo ler esse ano, como Americanah e Hibisco roxo. Confesso que sou suspeita pra falar, sou muito fã dela! RESUMINDO: TODO MUNDO DEVERIA LER ESSE LIVRO!!

    ResponderExcluir
  3. Vou comprar o livro com certeza, sei que a leitura vai me agradar. Preciso ler mais sobre o feminismo.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  4. Oii! Eu adorei!! O mundo hj precisa e mto ler livros assim...Qro ler o mais breve possível! Me agradou dmais! Parabéns pela resenha! Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Não conhecia o livro mas adorei, gostei muito do tema e principalmente do trabalho da Chimamanda sobre ele pelo vídeo já deu para ter uma ideia o que me deixou ainda mais interessada em ler o livro !!

    ResponderExcluir
  6. Oi Sabrina, esse não é o tipo de gênero literário que eu leio mas eu gostei bastante da sinopse, com certeza vou ler obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  7. Oie tudo bem ?
    Não conhecia o livro mas adorei a sinopse, curto muito livros que falam de temas tão importantes como o feminismo!
    Adorei a resenha!
    Vou ler sim.
    bjus

    ResponderExcluir
  8. Amei.
    Precisamos, de mais livro assim.na.atualidade, ainda não conhecia o livro, porém amei, espero poder disfrutar dessa leitura muito em breve.

    ResponderExcluir
  9. É tããão mesquinho aqueles que se dizem "contra o feminismo" -_- Mas chato ainda é quando se ouve isto da boca de uma mulher. É como se ela dissesse "Eu sou mulher e mereço ser ignorada." Muitos não entendem que o feminismo não se trata apenas dos homens, que queremos nos "rebelar" contra eles. Se trata de nossa liberdade e voz! Chegar ao ponto em que alguém precisa organizar protestos e escrever histórias sobre isto é vergonho a humanidade, mas se este é o único jeito para as mulheres terem o mínimo de valor possível na sociedade, então meus parabéns aos que fazer e participam disso. Chimamanda, paumas infinitas pra você *--*

    ResponderExcluir
  10. oi!

    Eu sou feminista com orgulho haha E como disse a Suéllen aqui em cima é completamente mesquinho e ignorante uma mulher que diz esse tipo de coisa. Quero dizer, alou, amiga: se não fosse o feminismo vc tava casada, sem poder estudar e apanhando do marido.
    Enfim, preciso fazer a crítica pq eu acho necessária: homem não precisa ser libertado de nada hahahaha

    ResponderExcluir
  11. Bem não vou ler sua resenha porque pretendo ler esse livro em breve, mas de uma cosia eu sei, essa mulher é f@#$

    ResponderExcluir
  12. Vc esta se superando sempre com suas resenhas, e essa não ficou pra traz.
    E esse livro é demais.
    Li uma vez e amei.
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir