Bela redenção - Jamie McGuire

Bela Redenção
Ano: 2015 / Páginas: 308
Idioma: português
Editora: Verus
Skoob – Avaliação: 4/5
A aguardada continuação de Bela Distração Liis Lindy é uma agente do FBI decidida a se casar apenas com o trabalho. Ela adora sua mesa, está em um relacionamento sério com seu laptop e sonha em ser cumprimentada pelo diretor depois de solucionar um caso difícil. O agente especial Thomas Maddox é arrogante e implacável, um dos melhores que o FBI tem a oferecer — e chefe de Liis. Quando Liis e Thomas são encarregados de uma missão em que precisam fingir ser um casal, a atração entre eles chega ao limite — e os leva a questionar quanto realmente estavam fingindo. Bela redenção é o segundo volume da série que narra a excitante, romântica e por vezes volátil jornada dos Maddox rumo ao amor. Chegou a hora de conhecer o mundo misterioso do esquivo Thomas e descobrir como a paixão pode ser intensa quando você não é a primeira, e sim a última. Além, é claro, de rever os outros irmãos da família Maddox.
Eu teria que aprender a odiar Thomas Maddox, e eu tinha a sensação de que ele não ia tomar isso difícil para mim. 
Bem, tenho que começar essa resenha dizendo que se você não leu o primeiro livro da série Irmãos Maddox, Bela distração, não leia a sinopse, e pule os parágrafos que comecem com letras vermelhas, pois algumas partes aqui podem estragar completamente a experiência do primeiro livro.

Thomas Maddox não é o mesmo depois de ter se separado de Camile, seu trabalho no FBI tomou muito do seu tempo e lhe fez perder a mulher que amava, para seu próprio irmão. Agora, ele é o cão em pessoa no departamento, e todos parecem ver uma placa de “cuidado, cão raivoso” piscando em sua testa, não ousando entrar em seu caminho sem ser solicitado.
Aquelas prateleiras vazias costumavam exibir porta-retratos com fotos dela. Todo mundo sabia como ele se esforçava para cuidar do trabalho e amá-la como ele achava que ela merecia. Agora ninguém fala no assunto... não porque ele fez alguma coisa errada, mas porque ela partiu o coração dele, e ninguém quer que ele se sinta mais infeliz do que já está. 

Liss Lindy é uma agente que acabou de ser transferida para o FBI, como especialista de idiomas. Ela acabou de sair de um relacionamento de anos, mas que ultimamente tudo no outro lhe incomodava, por isso ela não pretende se relacionar tão cedo de novo. Sua primeira noite na cidade nova já lhe garantiu uma ótima companhia, e uma transa arrasadora, com seu misterioso vizinho de cima, que entende que ela não está emocionalmente disponível para relacionamentos.

O problema é quando ela começa seu serviço no FBI, e percebe que seu misterioso, e gostoso, vizinho, é seu chefe, que pra piorar todos temem no departamento. Mas, como ela não abaixa a cabeça pra ninguém, o departamento enfrentará uma briga de cães bravos, disputando quem late mais alto.
Ele não é um ogro. Na verdade, neste momento, ele deve achar que eu sou a ogra.

Resenha

12387819_10204482124967347_1982739535_n
É no imprevisto que os melhores e mais importantes momentos da nossa vida parecem acontecer.

Bela distração me deixou de boca aberta com o final, revelando que realmente era o namorado da Cami, e me deixou odiando esse Maddox, afinal, ele a deixava sozinha e aparecia do nada querendo que ela ficasse com ele. Então, quando vi que o próximo livro seria dele, já comecei desgostando, porque infelizmente ele não teria meu amor.

Mas, é claro que Jamie não deixaria eu odiar um Maddox, isso vai contra as leis da física e é pecado, então, mais uma vez meu lado pirigueti se apaixonou por Thomas em poucas páginas, e eu fui acrescentando mais um marido literário para a lista.

Ele não só derrubou minhas defesas. Todas elas foram derrubadas com mais rapidez do que qualquer outra defesa derrubada na história das defesas derrubadas. 
Liss me ganhou, como todas as protagonistas e narradoras da série. Ela é forte, decidida, não se joga de cabeça em um novo amor, não abaixa a cabeça pra ninguém, e é uma agente fodona que fala nove idiomas. Ela bate de frente com o Maddox, não tem medo de sua pose de cão raivoso, e consegue fazer com que ele mude muito seu humor no escritório.

Mas, no quesito relacionamento, o casal da um passo pra frente, e dois, três pra trás. Thomas ainda não superou Camile, e mesmo dizendo que ama Liss de um jeito diferente que chegou a amar a ex, ela percebe que não vale a pena se envolver com alguém que ama outra pessoa também. E o que mais da raiva é que quando está tudo bem entre o casal, ele vai lá e cita Cami, compara ela em alguma coisa, está sempre lembrando dela, ela parece um fantasma que está sempre no meio dos dois.
Somos iguais, Liis. Foi por isso que não deu certo com outras pessoas. Não vou deixar você fugir e você não vai aguentar as minhas merdas. Podemos pensar se é eficiente ou não ficarmos juntos até nos aposentarmos ou podemos simplesmente aceitar agora. O fato é que nós planejamos, organizamos e controlamos as coisas.
Isso me irritou bastante, mas a autora te leva a pensar em o quando um término de relacionamento é difícil, ainda mais quando não é você que rompeu ele, e pior ainda quando você sabe que essa pessoa sempre estará na sua vida, pois se envolveu com alguém que você ama e não tem como romper laços.
Agora, vamos falar de outro tópico que me irritou bastante na leitura, que não estragou o livro, mas infelizmente não conseguiu me passar a seriedade que é proposta.

Bom, o cenário do livro é o FBI, então, se espera que sejam pessoas maduras e sérias, afinal, eles lidam com criminosos perigosos e assuntos de extrema importância, mas, não é bem assim. Os personagens vivem para fofocas, correr atrás de um jeito de unir Liss e Thomas, resolver seus próprios relacionamentos, e fofocar mais um pouco, então, aquele cenário de FBI com toda seriedade que deveria ter para carregar de drama e suspense o final, vira um colégio de adolescentes (de mais de 30 anos) onde todos não fazem nada de sério. Não que eles sejam chatos, pelo contrário, adorei essas amizades, mas não condizerem com o cenário, e acabou não me comprando o final.
Eu já perdi alguém que amava, e isso me fez mudar. Eu já abri mão de alguém que amava, e isso me destruiu. Eu sei que, quando você for embora, Liis, qualquer que seja o motivo... isso vai acabar comigo. 

E o que falar desse final? Bem, ele foi mediano, seguindo o mesmo padrão que Jamie coloca em todos os seus livros, gostei? Sim! Foi incrível? Não. Queria sentir mais medo, mas angustia, afinal, são um casal de agentes do FBI, mas, ela não trabalhou muito nisso e focou de mais no romance (que é a proposta do livro, é claro). 

Por fim, Bela redenção foi uma leitura agradável, consegui matar a saudade dos outros personagens, passei raiva, me diverti, e me emocionei. Não é o melhor livro da autora, mas para os fãs da série é uma ótima leitura para relembrar de personagens que não apareciam há algum tempo (totó <3), e no final, você vai amar e odiar mais um Maddox.

A gente teve que se encontrar para finalmente entender que o amor não pode ser controlado. Previsões, suposições e certezas absolutas são ilusões. Meu amor por ele era volátil, incontrolável e esmagador, mas... isso era amor. O amor era real.

avaliação cupcake - Cópia

Nenhum comentário:

Postar um comentário