O Exorcista - William Peter Blatty

O Exorcista

 

Nos Estados Unidos da América, algo muito estranho acontece. Atingida por uma doença que os melhores especialistas não conseguem descobrir, uma criança caminha para a morte, semeando a destruição à sua volta, ao mesmo tempo que se vai apagando numa agonia atroz.

"Um clássico do terror com mais de 13 milhões de cópias vendidas“. Impossível parar de ler. Poe e Mary Shelley reconheceriam [William Peter Blatty] como mais um integrante do limbo ambíguo entre o natural e o sobrenatural... De arrepiar.” – LifeUma obra que mudou a cultura pop para sempre, O exorcista é o livro que deu origem ao maior filme de terror do século XX. Quatro décadas após chocar o mundo inteiro, a obra-prima de William Peter Blatty permanece uma metáfora moderna para o combate entre a fé e o profano em forma de um dos romances mais macabros já escritos."

Skoob – Avaliação 5/5 Coração vermelho 

O mês do terror acabou, mas as resenhas continuam por aqui! E hoje, trago esse livro que estava morrendo de curiosidade pra ler, principalmente por nunca ter visto o filme.

Então, preparem seus forninhos, pois esse livro é de arrepiar!  Fantasma

O Exorcismo é um dos filmes de terror mais conhecidos hoje em dia, mesmo depois de 40 anos, ele consegue passar muito medo pra quem assiste, e com certeza a menina possuída vai apavorar suas noites quando você apagar a luz, e posso garantir uma coisa, o livro possui o mesmo efeito, quem dirá mais.

O Exorcista, conta a história de Chris MacNeil, e sua filha Regan, de 12 anos. Chris é uma estrela do cinema, que está prestes de dirigir seu próprio filme, por isso quase não fica em casa com sua filha, mas, em suas folgas, elas são muito unidas, e adoram brincar, passear, e passar o maior tempo possível juntas.

As MacNeil’s são ateias, e Chris não gosta que sua assistente Sharon fale sobre Deus para a garota, e também, não vê problemas quando Regan começa a brincar com o tabuleiro de ouija, dizendo que o “Capitão Howdy” brinca com ela, e responde as suas perguntas.

Também é importante citar, a importância do padre jesuíta Damiem Karras, que está passando por um momento de provação de sua fé, pois sua mãe está doente e vem a falecer, e ele nada pode fazer para ajuda-la, pois no seu cargo de padre, ele fez um voto de pobreza, e não tem dinheiro para trata-la ou colocar em uma casa de repouso digna. Todo seu dilema de fé, igreja e em ajudar ou não a família, vemos o quanto ele é um personagem real e humano, que terá um grande papel no desenvolver da trama.

O livro é dividido em quatro partes, sendo elas:

  • Começo – Primeiramente somos inseridos na vida dos personagens, mas logo depois as coisas estranhas começam a acontecer, batidas no sótão, móveis super pesados mudados de lugar sem que ninguém saiba quem mudou, pequenos objetos desaparecem e aparecem em lugares diferentes, e principalmente, Regan começa a ter episódios de sonambulismo, onde faz coisas e depois não lembra o porque de ter feito aquilo.
  • A Beira – É nessa parte que a coisa começa a ficar realmente feia, muito mais complexa do que parecia, todos começam a perceber que tem algo errado ali, e que Regan não está sendo ela mesma, ela passa de uma garotinha doce e meiga de 12 anos, para um adulto xucro que fala mais obscenidades que todos juntos.
  • Abismo – Regan passa por vários médicos a fim de compreender o que está acontecendo com a garota. São feitos vários exames, teorias e mais teorias, enquanto ela só piora
  • Que meu apelo chegue a ti – É a parte final do livro, onde é inserido mais um importante padre (prestem atenção no prólogo, ele explica muito desse padre e sua relação com a história), para tentar resolver o problema da garota, e verificar se é mesmo um caso de possessão demoníaca, e se irá realizar ou não um exorcismo.

O livro possui um ritmo frenético, todo narrado em 3ª pessoa, e mostrando como a vida de pessoas tão reais mudou, depois de um ‘simples’ acontecimento. tenho que ressaltar também, que o autor instiga o leitor a ler mais e mais, para saber o que realmente aconteceu com Regan, se ela está ou não possuída, se é uma doença do cérebro, um distúrbio de personalidade ou simplesmente um problema dos nervos, o leitor é apresentado a um estudo completo para saber ou não se é uma possessão, e quais são as provas que o Vaticano exige, antes de mandar um Exorcista para o local.

12204613_966418353431624_1062654608_n

Pode ser que o livro não assuste tanto quem já viu o filme, afinal, a reprodução deste é bem fiel a escrita, assim não tem como não imaginar as cenas do livro sem os personagens do filme, principalmente Regan, que se tornou um ícone quando o assunto é terror, mas pra mim, o livro funcionou perfeitamente bem, me vi apreensiva, com medo do que aconteceria com aquela criança, curiosa para saber se era mesmo uma presença demoníaca ou se era apenas uma doença, e se o padre Kanrras ia ou não poder exorciza-la, e no final, me vi surpreendida, não esperava o que aconteceu, e achei uma conclusão louvável a essa bela história.

Em fim, o Exorcismo não é um livro que fala de possessão, de exorcizar uma criança, de como o ‘capiroto’ entrou nela, e o porque de não querer sair, e sim é um livro que trata da luta do bem contra o mal, e de como um acontecimento tão estranho pode mudar a vida de uma família tão simples, de pessoas que estão curiosamente com problemas de fé no momento, assim, no decorrer da história, vemos a fé se renovar e florescer naqueles que não a tinha, de modo que eles tem que acreditar para poder lidar com o que virá, talvez se sacrificando pelo bem maior, mas sempre com o pensamento de que a morte espiritual é a que importa, e não a do corpo.

 

                                     classificação terror classificação terror

17 comentários:

  1. Oie, Sabrina!
    Fiquei bem curiosa quanto ao livro. Eu absolutamente amo o tema! Além disso, olha a inspiração: o clássico. Com certeza um livro que merece nossa atenção. Espero poder ler em breve para ter uma opinião formada sobre. Adorei sua resenha e estou com boas expectativas!
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando – Livre-se você também!

    ResponderExcluir
  2. Oie Sabrina,
    Estava pensando em comprar esse livro para ler, agora com sua resenha vou compra-lo com certeza.
    Beijos
    Eu e meu vício chamado Leitura

    ResponderExcluir
  3. Oi Sabrina, eu morro de curiosidade de ler esse livro, ainda mais eu que sou apaixonada por tudo que envolva terror. Esse livro sempre chamou muito minha atenção e fiquei muito feliz que você gostou muito dele.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Sabrina. Esse é um dos melhores livros de terror que já li, gostei bastante da história e da narrativa do Peter. Estou ansiosa para assistir o filme!
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Sabrina,
    Nem consegui ler a resenha até o final, vi que tinha umas imagens e já pulei logo hahahaha
    Li esse livro muito tempo atrás numa edição bem antiga e a capa era muito assustadora.
    Quando li esse livro passei por uns episódios estranhos e desde então não vejo filmes de terror...
    Li o trecho que você diz que sonhar com a menina e que o livro pode ser pior que o filme. FATO
    Achei super assustador e jamais na minha vida leria de novo ou veria o filme hahahhah
    Cagona.com
    Mais ou menos isso.
    Fico feliz que tenha gostado.

    Abraço e Bons Livros,
    Biblioteca do Coração❤

    ResponderExcluir
  6. Oii..
    Eu sou muito medrosa com essas coisas, mas também muito curiosa e lendo a resenha fiquei muito curiosa com toda esse história e quero muito ler. Deve ser uma leitura intensa, eu se tivesse lendo dormiria com a luz acessa rs'
    Gostei de saber mais sobre o livro e de como as coisas se desenvolvem. Não assisti ao filme por medo rs' mas irei assistir com alguém para ter uma "segurança".

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  7. Quando eu vi esse filme pela primeira vez eu tinha 14 anos, e sério, fiquei bastante impressionada com aquilo na cabeça, mas hoje em dia eu corro de filmes de terror. Nem sabia que havia um livro sobre ele, mas eu sinceramente não pegaria para ler não, até porque fiquei sabendo que fatos estranhos aconteceram com alguns atores que fizeram o filme. Nossa, morro de medo hahaahahha

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/11/resenha-paris-do-oriente.html

    ResponderExcluir
  8. Sabrina, a primeira coisa que tenho que falar é sobre o seu marcador de que gostou. Jack ♥♥♥♥
    Muito amor.
    Eu não leria esse livro porque sou mega medrosa, mas sei que ele é meio que um clássico do terror e vale a pena ser lido.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  9. Não sei se eu leria este livro,vi umas partes do filme quando eu era pequeno e até hoje sou traumatizado fghjkhg Mas,pra quem curte terror,certamente parece ser um livro incrivel.

    ResponderExcluir
  10. Então gata... Eu gosto dessas histórias, gosto mesmo, não leria p livro porque não leio nada de terror apesar de auditor bastante. Eu total acredito em possessão demoníaca em como as pessoas abrem uma pequena brecha em satanás e seus anjos se apossam da vida dela tentando destruir tudo o que ela er, tudo o que Deus constituiu nela... Da mesma forma que Jesus apenas dizia "sai" pros demônios que possuíam as pessoas na Bíblia, não acho que exista mistério em retirar demônios de pessoas, não precisa um enorme ritual.,.
    Mas o que eu mais gosto nessas histórias, tanto essa como o exorcismo de Emily rose é a protagonista... Você muitas vezes vê a pessoa como endemoniado ou maluco e não lembra que é uma pessoa, que tá ali sofrendo, que tem um problema... E esses filmes despertam esse lado.
    Bjs
    Tay do Let It Shine

    ResponderExcluir
  11. Não sabia que tinha o livro do filme. Ainda não conferi a adaptação, mas me interessei bem mais em ler a obra. Adorei saber melhor sobre a trama, adoro histórias mais aterrorizantes.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Sabrina!
    Eu não gosto muito do filme, acho meio piegas e tal. Mas, pela sua resenha, vejo que o livro consegue ser bem mais interessante que o filme, mais detalhado, fiquei apaixonada! Leria sim o livro pra conhecer melhor a história, mais do que o filme chatico nos mostra!! Adoro coisas assustadoras!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho muita vontade de ler esse livro, eu até tava numa vibe livros de terror mas mesmo assim ainda não tenho coragem... Como é um livro que acho que não me importaria com os spoilers, acho que vou assistir o filme primeiro

    Abraços, Miguel do Demasiadamente Lendo

    ResponderExcluir
  14. Oi Sabrina, tudo bom? Olha, eu simplesmente AMO terror, então sou suspeita né? Já vi o filme, um clássico por sinal, mas nunca li o livro! Como sempre curto mais o livro (que me permite divagar pelo fantástico mundo de Bob) do que filmes em si, acredito que eu ia amar do mesmo jeito. Parabéns pela sua resenha, realmente tá muito boa e só fez aumentar minha vontade de ter esse livro na minha estante nesse exato momento! Bjosssss

    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá Sabrina...
    Adorei a sua resenha, vc escreve muito bem, já te disse isso?
    Mas genteeeeeeee Deus me livre e guarde desse livro... eu JAMAIS o leria kkkkkkkkkkkkkkk
    Sou muito medrosa... da até vergonha kk

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  16. Oie tudo bom?
    Credo, só pela sua resenha eu já fiquei com medo. Nunca assisti ao filme e o livro também me pareceu assustador. Definitivamente não é o tipo de leitura que eu faço.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Eu acho que junto com este tipo de gênero que este filme e reservar uma recomendação gostaria de fazer é The vatican tapes eu gosto da força sobrenatural que uma menina pode ter (hahaha), a profundidade e dinamismo do filme me agradou, o fim é aberto a todos os filmes que podem vir mais tarde, há uma boa relação entre os personagens, excelentes performances, Michael Peña tem vindo a crescer em sua carreira no cinema; os efeitos especiais são adequadas, dar boa classificação.

    ResponderExcluir