Grey – E.L. James

Grey

Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.
Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?

Skoob – Avaliação: 5/5 Coração vermelho Ficção / Literatura Estrangeira / Erótico / Romance

DSCN1815

Acho que todos aqui conhecem ou já ouviram falar da trilogia 50 tons, certo? 50 tons pelos olhos de Grey, é um POV todo narrado por ele, nosso Dom. querido, que abriu o mundo da literatura erótica que antes era tão pequeno.

Não vou resumir a história porque todos já conhecem esse universo, então só vou citar minhas impressões sobre ele, ok?

Nesse livro, conhecemos muito mais o CEO, mas do que foi apresentado na trilogia original. Nos pesadelos do personagem ele vai relembrando seu passado enquanto criança, e conseguimos ver o quanto sofreu quando vivia com sua mãe verdadeira, e também toda a sua relação com comida, já que quando era pequeno não tinha NADA pra comer, e muitas vezes comia alimentos estragados e mofados.

Sua relação com Anastacia também é muito masi bem desenvolvida aqui, já que ele não é tão inseguro quando ela. Ele sabe o que quer, sabe o que tem que fazer pra conseguir, e quando ela quer ‘mais’ dele, vemos um Grey romântico, disposto a tudo para agradar a mulher que está amando.

Meu coração foi atacado e ficou irreconhecível há muito tempo.

Outra coisa que percebe-se no livro, é menos drama. Anastacia fazia drama toda hora: “ Ai ele não me ama”, “Ai ele é muita areia pra minha deusa interior”, “Ai ele vai ser encontar com a Elena rouba marido e ela vai roubar ele de mim” … E assim, vemos que nada é como ela imagina. Ele quer ela então abre mão de tudo pra ter isso, e Elena, por mais que ela queira sim roubar ele da Ana, ele não percebe isso, e realmente, ele nem liga mais pra ela, tanto que quando entra em contato com ele, fica evitando retornar pois sabe que Anastacia não vai com a cara da pedófila.

DSCN1816

Enfim, não há muito o que contar sobre esse livro, pois já que é um POV, é a mesma história de 50 tons, só que muito mais arrebatadora, madura, sem uma escrita repetitiva (revira olhos, revira olhos, revira olhos, deusa interior, deusa interior, revira olhos ¬¬’) e muito mais quente!

Gosto do contato dela, de tocar nela. Ela é um bálsamo para meu espírito tumultuado.

Sinceramente falando, a autora poderia ter escrito tudo só na visão do CEO dominador, pois ela é infinitamente melhor que a original, e nos faz chorar, sorrir, e vibrar em todas as partes do livro, mais até que quando era a Anastacia narrando.

Infelizmente ainda não há previsão de lançamento do POV de 50 tons mais escuros, pois a autora começou recentemente a escreve-lo, mas o jeito é torcer para que lance logo, e a intrinseca traga logo pra nós, porque eu quero muito ler toda a série na visão do Grey.

Ana é corriqueiro e comum demais para ela. E muito íntimo. Essas três letras têm o poder de ferir...

Ano: 2015 / Páginas: 524
Idioma: português
Editora: Intrínseca

7 comentários:

  1. Oi Sabrina.

    Gostei muito da sua resenha. Ela respondeu uma duvida que tinha a respeito da deusa interior. Por que a leitura da trilogia cansou com essa deusa, Ana mordendo os lábios e virando os olhos. Eu não tenho nada contra 50 tons, até tenho os livro aqui em casa, mas acho que não precisava ficar repetindo direito.
    Acho que vou conferir a versão de Grey.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não sou fã de 50 tons, mas acho muito interessante a ideia do livro narrado sob outra perspectiva. Vou ler o livro da Piper e da namorada, de Orage is the new black exatamente para saber a versão de cada uma. Bem legal a ideia de escrever um livro na voz do Grey! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Uau, não é a primeira resenha empolgadíssima que leio a respeito dessa obra, flor. Ainda não li a trilogia de 50 Tons - e confesso não ter muita vontade de fazê-lo -, mas a sua resenha me convenceu a, talvez, começar pelo inverso... Pela visão do Sr. Grey.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oie. Tenho uma relação de amor e ódio com 50 tons. Li todos os livros de crepúsculo e gostei muito na época. Comecei a ler 50 tons mas não consegui seguir adiante. Ainda mais quando descobri que a autora se inspirou em crepúsculo. Eu ficava imaginando a Bela no lugar da Anastasia e não gostei. Enfim... da mesma forma que em crepúsculo, os adjetivos que a Anastasia usava pra descrever o Grey eram muito "exagerados" e isso me cansa! Talvez pra mim seja mais recomendado ler o livro do Grey, pois pelo que você me parece, ele é romântico mas não é tão chato, inseguro e meloso que nem o 50 tons. Vou anotar a dica!
    Beijos
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Gostei da sua resenha, eu li a trilogia 50 tons, mas esse livro eu não tenho muita vontade de ler, por isso deixo a dica passar.

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Oi Sabrina,
    Eu li 50 tons e amei, ainda não tinha lido nenhuma resenha de Grey e fiquei muito animada com sua escrita, claro que vou colocar na minha lista de desejos. Amei o Christian e também a Anastasia que mesmo na insegurança dela por ser inexperiente e muito jovem, salvou o Christian dele mesmo, o conduziu para enfrentar os seus monstros internos que o perseguia desde pequeno. Penso assim, pois quando li 50 tons e o fiz analisando tudo e considerando a minha formação e Psicologia.
    Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. MEDOOOOOO!!!
    kkkkkkk
    Ganhei de uma colega de trabalho a trilogia completa... Pergunta se eu li? Até agora não kkkkk
    Não sei porque ressisto a ler, deve ser medo kkkkkk
    Então conheço muito pouco sobre essa saga, não tenho nada contra quem ama e venera, mas eu, particularente, não faço parte do fã clube desta trilogia.
    Confesso que achei interessante ter uma noção do Grey, é sempre bom conhecer ambos os lados. E homem, normalmente, é mais decidido e sabe o que quer do que nós mulheres kkkkkk
    Beijos
    Ariana Silva
    ariabooks.blogspot.com

    ResponderExcluir