Amante renascido–Irmandade da Adaga Negra–J.R. Ward


amante-renascido
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2012
Páginas: 704
Das sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por guerreiros vampiros defensores de sua raça. Desde a morte de sua shellan, Tohrment tornou-se irreconhecível. Fisicamente abalado e com o coração partido, ele é levado de volta para a Irmandade pelo anjo Lassiter. Agora, lutando com uma fúria implacável, ele está preparado para enfrentar outra tragédia. Ao descobrir que sua amada está presa em um submundo frio e isolado, Tohr procura o anjo na esperança de salvá-la. No entanto, quando Lassiter lhe diz que ele precisa aprender a amar outra fêmea para libertar sua antiga parceira, Tohr percebe que eles estão condenados. Mas ele não esperava que uma mulher intrigante e sexy começasse a mexer co seus instintos adormecidos. Em meio a uma guerra violenta contra os redutores e um novo clã de vampiros competindo pelo trono do Rei Cego, Tohr divide-se entre o amor antigo e um futuro arrebatador. Será que ele se entregará a essa nova paixão e conseguirá libertar a todos?


- Essa resenha contém spoilers dos últimos volumes da série Irmandade da Adaga Negra -
Esse volume narra a história de Tohr, o líder da irmandade, o irmão mais centrado de todos e praticamente o braço direito do rei. Nos livros anteriores vimos o quanto o rei e os irmãos confiam nele, e como ele amava a sua shellan Welsie, que estava esperando um filho seu, mas foi assassinada brutalmente pelos redutores pouco mais de um ano atrás, o que o deixou completamente desolado, o fazendo fugir da Irmandade, vivendo sem se alimentar a fim de conseguir ‘morrer de causas naturais’ e ir para o fade encontrar com sua esposa e filho, porém é resgatado pelo anjo Lassiter e levado de volta a Irmandade, onde todos esperam que ele vá superar e voltar a ser o antigo guerreiro. 
Thor apesar de ter voltado, estar praticando exercícios e se alimentando nas refeições com os moradores da casa ainda não conseguiu superar a sua dor, toda essa normalidade que ele aparenta no dia a dia é apenas uma máscara que aprendeu a vestir para que os irmãos e os amigos deixem de pegar no seu pé, porém a dor da perda da shellan é cada dia maior, e os seu sentimentos de vingança aumentam, o deixando amargo, violento e sem medo da morte.
NO’One era uma serva das escolhidas do outro lado, que veio para a casa dos irmãos para cuidar de Pane, porém como ela se uniu ao doutor Manello acabou ficando sem ter o que fazer, e quando ela descobre que sua filha está nessa casa, e está para casar com um dos guerreiros John ela tenta se aproximar da filha, mas percebe que essa ainda guarda muito rancor por ela ter se matado ao invés de viver com Xhex. Rancor esse que ela mesma guarda, se punindo até hoje por ter sido uma mulher tão mesquinha antes de ter sido raptada, e mais ainda por ter tirado a própria vida por não suportar que foi estuprada por um Sympato e engravidou de uma mestiça, assim ela se tornou uma serviçal e nunca mostra o corpo ou o rosto, mudou seu nome para NO”Onde (ninguém) e se tornou alguém que quase nunca é notada.
Quando Lassiter procura NO’One para ajudar Tohr ela prontamente diz que ajudará pois tem uma dívida enorme com o irmão, pois foi ele que ficou na casa com ela quando Dairus a resgatou, e foi com sua adaga que ela tirou a própria vida, o que ela não esperava é que ele precisa que ela e Tohr se apaixonem, pois Welsie está presa no Limbo por ele ainda não conseguir aceitar que ela morreu, e a cada dia que passa, o seu tempo para se libertar diminui. 
Então, com essa história vamos vendo Thor se entregando pouco a pouco a uma nova pessoa, porém sempre com a mentalidade de ‘eu preciso ficar com ela para liberar Welsie’, o que cheia a ser irritante em alguns pontos, pois ele parece preso ao mesmo discurso de sofrimento e angustia e dor e blá blá blá. No’One mesmo sabendo que Tohr está com ela para libertar a antiga shellan o aceita, pois acredita não ser merecedora de um macho tão honrado, e mesmo se apaixonando por ele não exige nada mais dele além do que o próprio a oferece.
Nas histórias complementares vemos também John e Xhex, que estão cada dia mais afastados, pois o macho tem medo de ficar igual ao seu pai adotivo (Tohr) se algo acontecer com a shellan no campo de batalha, já que ela é uma ótima lutadora, eles se envolvem em várias discussões, e ela acaba saindo da mansão e voltando a trabalhar com os irmãos Sombras em uma casa noturna. E como os inimigos temos novamente Xcor,com seu ‘bando de bastardos’, eles estão mais focados ainda em derrubar o rei, traçando planos extremamente inteligentes e se infiltrando na sociedade de vampiros para conseguir apoios. Nos é apresentado também Assil, que é um vampiro que veio do velho mundo (Europa) para assumir o tráfico de drogas que Rehv abandonou ao se tornar Rei dos Sympatos. Os redutores tem cada vez menos destaques, pois trocam de líder praticamente a cada livro, assim eles não conseguem se organizar bem e os outros ‘inimigos’ são bem mais relevantes para a história do que eles.
O livro também prepara os leitores para o próximo volume, com Blay e Qhuinn que vivem se desentendendo por vários ´fatores, mas principalmente por este não se aceitar como gay. E também com a escolhida Layla, que terá um papel muito importante no próximo volume.
A autora nos dá um final surpreendente, quando achamos que tudo foi por água abaixo ela nos da um susto e tranquiliza tudo. No geral o livro é ótimo, seguindo o mesmo padrão dos outros volumes da Irmandade, pois traz cenas quentes sem se tornarem vulgar, nos trás arrebatamento, descobertas sobre o passado dos personagens e também nos deixa com água na boca pelo próximo volume querendo ler o mais rápido possível para ver como o casal vai terminar. O livro diferente dos outros é separado das estações do ano, nos mostrando um ciclo, o qual ele está perdido, encontra NO’One, se apaixona, se arrebata, e se liberta.
Essa resenha está contanto para a maratona Arrasta pé literário

Nenhum comentário:

Postar um comentário